Mescla
Mescla
Observatório PUC-Campinas
Observatório
PUC-Campinas
Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno

PROAVI – Programa de Autoavaliação Institucional

capi@puc-campinas.edu.br

Contato

CPA – Comissão Própria de Avaliação da PUC-Campinas

Lei n. 10.861-2004  que institui o SINAES – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior que regulamenta o processo de Avaliação Institucional das Universidades Brasileiras determina que em cada Universidade seja criada uma Comissão Própria de Avaliação – CPA.

A CPA da PUC-Campinas foi criada pelo Conselho Universitário aos 28-10-2004 e regulamentada pela RN PUC nº 015/10. A CPA possui atuação autônoma em relação aos órgãos da instituição para garantir uma avaliação mais objetiva e independente.
À CPA-PUC-Campinas compete: a coordenação dos processos internos de avaliação institucional; a sistematização e prestação de informações relativas à avaliação institucional solicitadas ao MEC/INEP; o planejamento e acompanhamento das avaliações externas promovidas pelo MEC/INEP.

Composição da CPA-PUC-Campinas : 4 membros do Corpo Docente; 3 membros do Corpo Técnico-Administrativo; 2 membros do Corpo Discente; 2 membros da sociedade civil organizada.

Constituição atual da CPA (conforme Portaria PUC n. 078/20)

Representantes da Sociedade Civil Organizada

Claudio Aparecido Violato
Elisabete Matallo Marchesini de Pádua

 

Membros do Corpo Docente

Marina Piason Breglio Pontes Oliveira (Coordenadora)
Juleusa Maria Theodoro Turra
Ricardo Luís de Freitas
Sônia Regina Blasi Cruz

Membros do Corpo Técnico-Administrativo

Rosa Maria Cruz Gontijo

Marco Wandercil da Silva

Selma dos Santos Geraldo Benatti

Membros do Corpo Discente

Arthur de Oliveira Lot

Caíssa Silveira Belo Nascimento Roque

A Coordenadoria de Apoio aos Projetos Institucionais (CAPI) foi criada em setembro/2014 pela Portaria PUC n. 236/14 e está vinculada à Reitoria (Vice-Reitor), direta e interinamente, conforme Portaria PUC n. 085/18.

Trata-se de órgão institucional que, além de ser o suporte e dar apoio às atividades da Comissão Própria de Avaliação (CPA), é responsável por disponibilizar, à comunidade interna, dados e informações pertinentes aos processos avaliativos, especialmente o que se refere à organização e acompanhamento dos relatórios de projetos e ações vinculados ao Programa de Autoavaliação Institucional da PUC-Campinas.

Constituição atual da CAPI:

  • Floripes Gebra
  • Hilda Outi Crupe
  • Jorge Luís Moreira Alberto

Programa de Autoavaliação Institucional

O Programa de Auto-Avaliação  PROAVI – da PUC-Campinas, coordenado pela CPA-PUC-Campinas, é um conjunto de projetos e ações que tem como objetivo avaliar todas as atividades desenvolvidas na Universidade, sejam elas atividades-fim de Ensino Pesquisa e Extensão em todos os níveis, sejam, também, as atividades de caráter administrativo.
As Diretrizes do PROAVI-PUC-Campinas foram aprovadas na 384 ª Reunião do Conselho Universitário.
O PROAVI-PUC-Campinas compõe-se de projetos e ações, agrupados em 11 Dimensões Avaliativas, desenvolvidos com a participação da comunidade universitária sob a coordenação das respectivas Unidades Acadêmicas ou Administrativas.
Anualmente a CPA-PUC-Campinas elabora um relatório avaliativo da Universidade que é apresentado ao MEC/INEP.

Atualizado em: 13/06/2016

O Programa de Autoavaliação Institucional (PROAVI) da PUC-Campinas foi aprovado na 384ª reunião do Conselho Universitário, realizada em 23-3-2005, o qual definiu a concepção, os princípios e as dimensões dos processos avaliativos a serem desenvolvidos no âmbito do SINAES.

 

Para sua elaboração considerou-se a longa trajetória da PUC-Campinas no campo da avaliação, resgatando-se em especial os processos implementados desde a década de 80, quando a instituição foi pioneira, no Brasil, na construção de um Projeto Pedagógico Institucional.

 

Naquele primeiro momento do PROAVI, os projetos de avaliação se configuraram como resultado do Planejamento Estratégico para o período 2003-2010; alguns deram continuidade a processos avaliativos já desencadeados, outros foram novos projetos propostos pelas Pró-Reitorias de Graduação, de Pesquisa e Pós-Graduação, de Extensão e Assuntos Comunitários e de Administração.

 

Além destes, um conjunto de novos projetos foram estruturados a partir das exigências do SINAES, após estudo de viabilidade que apontou a possibilidade de incorporação de outras dimensões aos processos avaliativos então existentes.

 

Pôde-se constatar que grande parte das ações previstas pela PUC-Campinas para 2005 contemplavam as dimensões previstas pela Lei no 10.861/2004, em seu artigo 3o. A Instituição pôde ainda acrescentar ao seu Programa de Autoavaliação novos indicadores, apontados no Roteiro de Autoavaliação/2004 encaminhado pelo MEC/INEP, ampliando o foco de seus processos avaliativos, com uma visão mais integrada das atividades de avaliação institucional a serem desenvolvidas pelas Pró-Reitorias e demais instâncias da Universidade, em conjunto com a CPA.

 

Para a construção do Programa, além do envolvimento da Comissão Própria de Avaliação – CPA, do Departamento de Planejamento e Organização (DPLAN) e do então Núcleo Técnico de Avaliação (NTA), bem como dos membros do Conselho Universitário, foi necessário o envolvimento de todos os segmentos que compõem a comunidade universitária. Em substituição ao NTA, foi criada, em setembro/2014, a Coordenadoria de Apoio aos Projetos Institucionais (CAPI), vinculada ao Departamento de Planejamento e Organização (DPLAN), mantendo o apoio à CPA e tornando-se a responsável por desenvolver, implementar, acompanhar e apoiar tecnicamente os projetos de qualificação das atividades de ensino, pesquisa e extensão, no âmbito do Plano Estratégico da Universidade.

 

Ao longo dessa trajetória, os processos avaliativos desencadeados no âmbito do PROAVI têm procurado reafirmar a identidade católica e comunitária da Universidade, visando ao aprimoramento da qualidade de seus cursos e demais atividades educativas, culturais e artísticas. Os limites encontrados têm sido objeto de reflexão por parte da CPA e da CAPI, tornando-se importantes indicadores para a continuidade dos processos avaliativos a serem desenvolvidos pela Reitoria, pelas Pró-Reitorias e pelos Órgãos Auxiliares e Complementares da Universidade, tanto no tocante ao PROAVI, como em relação ao Plano Estratégico 2013-2020. Assim, temos delineada uma política de uso dos dados da autoavaliação, que visa subsidiar tanto a implementação de novos projetos a serem desenvolvidos para os próximos anos, quanto à consolidação de projetos prioritários em desenvolvimento.

 

A construção de uma cultura interna de avaliação, somada aos indicadores externos, tem trazido elementos importantes para a implementação das Políticas Institucionais de Ensino, Pesquisa e Extensão, ao mesmo tempo em que se desenvolve, efetivamente, um conjunto de ações que traduzem os anseios tanto da comunidade interna, quanto da comunidade de Campinas e Região, em termos de sua responsabilidade social.

 

Podemos constatar que desde sua implementação em 2005, a riqueza e as potencialidades do trabalho coletivo gerado pelas ações desencadeadas nos processos de autoavaliação tem, efetivamente, nos fortalecido na busca da melhoria constante da qualidade de nossas atividades-fim e da gestão institucional.

PROAVI PUC-Campinas – Diretrizes

A implementação do Programa de Autoavaliação Institucional (PROAVI) da PUC-Campinas vem se desenvolvendo a partir de suas Diretrizes, definidas em 2005 e constantes da Revista Cadernos de Avaliação n. 2, 2005, p. 25:

  • respeito à identidade católica e comunitária da PUC-Campinas, sua missão, objetivos, estratégias e metas, bem como sua experiência acumulada em processos de avaliação;
  • articulação permanente da CPA e da CAPI com os diferentes setores acadêmico- administrativos internos e comissões externas de avaliação, respeitando-se as esferas de competência já estabelecidas;
  • transparência em todas as etapas do processo avaliativo, respeitando-se a hierarquia, a pluralidade e diversidade de opiniões e concepções de gestores, professores, alunos e funcionários;
  • compromisso social evidenciado pela divulgação permanente dos resultados da avaliação junto aos diferentes segmentos da comunidade acadêmica e à sociedade em geral;
  • troca permanente de experiências avaliativas internas, que possam subsidiar as adequações que se fizerem necessárias ao PROAVI e às ações decorrentes de todo o processo avaliativo.

PROAVI PUC-Campinas – Dimensões

As Dimensões do Programa de Autoavaliação Institucional (PROAVI) da PUC-Campinas foram aprovadas pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) e pelo Conselho Universitário em reunião conjunta: 384a reunião do CONSUN, de 23 de março de 2005.

DIMENSÃO: 1.  COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE
DIMENSÃO: 2.  GESTÃO INSTITUCIONAL
DIMENSÃO: 3.  INFRAESTRUTURA E BIBLIOTECAS
DIMENSÃO: 4.  PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO
DIMENSÃO: 5.  POLÍTICA DE ATENDIMENTO A ESTUDANTES E EGRESSOS
DIMENSÃO: 6.  POLÍTICA DE EXTENSÃO
DIMENSÃO: 7.  POLÍTICA DE GRADUAÇÃO
DIMENSÃO: 8.  POLÍTICA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA
DIMENSÃO: 9.  POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS
DIMENSÃO: 10. RESPONSABILIDADE SOCIAL
10.1.  BOLSAS INSTITUCIONAIS PARA ALUNOS
10.2.  AÇÕES INSTITUCIONAIS(a)
DIMENSÃO: 11.  SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA

Até 2009 a dimensão 10.2 tinha como nomenclatura “Programas Permanentes de Extensão”.

Veja aqui o vínculo das dimensões do PROAVI com os Eixos, as dimensões do SINAES e as grandes áreas do PDI.

ENADE

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) é um dos pilares da avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), criado pela Lei nº. 10.861, de 14 de abril de 2004. O SINAES é composto, ainda, pelos processos de Avaliação de Cursos de Graduação e de Avaliação Institucional que, junto com o Enade, formam um ‘tripé’ avaliativo que permite conhecer em profundidade o modo de funcionamento e a qualidade dos cursos e instituições de educação superior (IES) de todo o Brasil.

Plano de Desenvolvimento Institucional

Atualizado em: 02/10/2018

O Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI é o documento que identifica a Instituição de Ensino Superior (IES), no que diz respeito à sua filosofia de trabalho, à sua missão, às diretrizes pedagógicas que orientam suas ações, à sua estrutura organizacional e às atividades acadêmicas que desenvolve e/ou que pretende desenvolver.

Legislação

Avaliação do ensino