Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Relacionamento Área do aluno
Vestibular 2022

Doutoranda desenvolve pesquisa em Portugal sobre cidades com águas termais 

Luciana Valin Gonçalves Dias tem bolsa da Capes para estudo no Exterior e acompanhou em novembro comissão de Poços de Caldas 

A doutoranda Luciana Valin Gonçalves Dias, do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da PUC-Campinas, realiza em Portugal parte do desenvolvimento de sua tese “Águas termais que configuram cidades: Caldas da Rainha (Portugal) e Poços de Caldas (Minas Gerais – Brasil) – Um estudo comparativo”. A pesquisa de Valin foi citada em reportagens de jornais de Portugal e do G1 e ela acompanhou um encontro entre autoridades de Poços de Caldas e Caldas da Rainha realizado em Portugal neste mês de novembro.

Luciana tem bolsa de estudos dentro do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), pela qual o estudante alterna parte das pesquisas no Brasil e no país escolhido para estudar.

Ela conta que a escolha e motivação para o desenvolvimento dessa tese se deu a partir da dissertação de mestrado finalizada em 2016, pela PUC-Campinas, que realizou um estudo de morfologia urbana da cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais. A análise demonstrou uma hierarquia das transformações dos elementos na composição da paisagem urbana ao longo do tempo, entrelaçada com a historicidade e as permanências, em uma cidade cuja origem está relacionada ao uso de suas águas termais.

A tese em desenvolvimento atualmente, sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Renata Baesso Pereira, se iniciou a partir de um acordo que concedeu o título de cidade-irmã de Poços de Caldas à Caldas da Rainha, tendo como particularidade a formação das duas localidades ligadas à cura pelas águas termais.

Luciana teve todo seu percurso acadêmico desenvolvido na PUC-Campinas, onde fez a graduação em Arquitetura e Urbanismo entre 1994 e 1998, especialização em Patrimônio Arquitetônico, e mestrado entre 2015 e 2016,

O processo para conseguir a bolsa teve várias etapas. Inicialmente um processo interno foi realizado pelo programa de pós-graduação da Universidade. Depois que o aluno é escolhido, ele segue para o processo do edital da Capes, com muitas fases, burocracias a serem cumpridas, prazos, documentos e cartas de concessão a serem entregues e recebidas.

É necessário ainda ter um supervisor da tese para a orientação do período no exterior. No caso de Luciana, o supervisor é o Prof. Dr. Jorge Mangorrinha, especialista na temática da tese, arquiteto da Câmara de Lisboa, professor universitário de algumas instituições portuguesas, sendo ele também o mentor do acordo de irmandade entre as estâncias.

A instituição onde estuda é a Universidade Aberta de Portugal, onde, em janeiro de 2022, deve ocorrer uma breve apresentação da pesquisa com transmissão pela internet e pela rede de televisão da universidade.

“A experiência em Portugal tem sido fantástica. Tenho conseguido avançar na pesquisa, tenho tido acesso a relevantes acervos portugueses e documentações primárias que serão de extrema importância para o desenvolvimento da tese”, disse.

Luciana já teve a aprovação no exame de qualificação e no momento decorre o terceiro ano do curso, planejando defender a tese em fevereiro de 2023. O desenvolvimento do trabalho propõe um estudo comparativo entre as estâncias, comparando as estruturas termais, os elementos da forma urbana que as compõem e os agentes envolvidos na criação e desenvolvimento das duas estâncias.

“O estágio no exterior tem uma função importante de levantamento de dados, registros documentais e fotográficos para identificar e compreender o “microcosmo termal” de Caldas da Rainha, em Portugal”, afirma.

O seu trabalho garantiu o convite para acompanhar a representação de Poços de Caldas em um encontro realizado neste mês de novembro entre o vice-prefeito Júlio César de Freitas, o secretário de Turismo Ricardo Fonseca Oliveira, a representante do Governo do Estado de Minas Gerais em Lisboa, Izabella Drumond, o Prof. Jorge Mangorrinha e o Presidente da Câmara (Prefeito de Caldas da Rainha), Vitor Marques.

Além da visita a pontos turísticos da cidade portuguesa, foi confirmada a entrada de Poços de Caldas no EHTTA – European Historic Thermal Towns Association, entidade responsável pela gestão da Rota Europeia das Cidades Históricas Termais, passando a ser a única cidade fora do circuito europeu a integrar esse circuito termal.



Marcelo Andriotti
23 de novembro de 2021