Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Contatos oficiais Área do aluno
Novo Vestibular

Vitalità, da PUC-Campinas, é destaque em conferência internacional da Unesco

Coordenadora do Centro de Envelhecimento e Longevidade foi convidada a levar a experiência criada na Universidade com estudos e atividades intergeracionais

O Vitalità – Centro de Envelhecimento e Longevidade da PUC-Campinas foi destaque em workshop promovido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O evento aconteceu durante a 7ª Conferência Internacional de Educação Adulta (CONFINTEA VII), organizada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). A Profa. Dra. Mariana Reis Santimaria, Coordenadora Acadêmica do curso de Gerontologia e Geriatria e professora responsável pelo Vitalità, foi convidada a palestrar sobre a experiência com estudos, projetos e atividades voltadas à população idosa, que tem ganhado destaque e crescido muito desde a criação do Centro. O evento aconteceu na cidade de Marraquexe, no Marrocos, e contou com formato híbrido.

A Conferência, que foi realizada entre 15 e 17 de junho, reuniu representantes de 140 países para fazer um balanço de conquistas na aprendizagem e educação de adultos e discutir os desafios para o futuro. E a PUC-Campinas, como a primeira Universidade reconhecida como “amiga do idoso” na América do Sul, foi mais uma vez reconhecida.

Profa. Dra. Mariana Reis Santimaria representou a Universidade

O destaque no cenário mundial reforça o trabalho importante que a Universidade tem feito, por meio do Vitalità, na integração do idoso. “O convite foi feito por meio da rede de universidades amigas do idoso. Nós entendemos que a PUC-Campinas tem uma representação importante por estarmos em um país que está em processo de envelhecimento, diferente de países europeus, que já passaram por essa fase, além do contexto socioeconômico do país”, destacou a Profa. Dra. Mariana Reis Santimaria.

No workshop, a professora falou sobre o efeito do aprendizado na saúde e bem-estar dos idosos e apresentou os resultados do Centro, reforçando também o compromisso com a sociedade.

“Recebemos muitas menções positivas em relação ao desenvolvimento das atividades que estamos fazendo e o quanto isso é significativo. No evento nós concluímos que as oficinas impactam sim a saúde e bem-estar dos idosos. Nós seguimos adiante com o compromisso de que uma universidade amiga do idoso é uma universidade amiga de todos”, relembra Mariana.

A valorização internacional do trabalho realizado na PUC-Campinas está em sintonia também com os eixos do planejamento estratégico da Universidade, que focam a longevidade, entendendo a importância da população sênior na construção da sociedade, na relação humano-afetiva e na internacionalização, que é a conexão internacional para expandir a missão e romper barreiras, a fim de cumprir o papel da Universidade.

A valorização internacional do trabalho realizado na PUC-Campinas está em sintonia também com os eixos do planejamento estratégico da Universidade, que focam a longevidade, entendendo a importância da população sênior na construção da sociedade, a relação humano-afetiva e a internacionalização, que é a conexão internacional para expandir a missão e romper barreiras, a fim de cumprir o papel da Universidade.

Junho Violeta

O Vitalità também marcou presença no cronograma da campanha “Junho Violeta”, promovida pela Prefeitura de Campinas. A cor faz alusão à conscientização sobre a violência contra idosos. O Centro também já havia apoiado a campanha no ano passado.

No último dia 15 de junho, a Profa. Mariana Reis Santimaria levou a vivência do Vitalità para o seminário “Violência contra a pessoa idosa: qual o papel das políticas públicas no enfrentamento desta realidade”, inserido na programação criada pela Administração Municipal. No evento, a responsável pelo Vitalità ministrou uma palestra sobre o idadismo, que significa o preconceito sofrido em relação à idade. “O idadismo é algo pervasivo; ele está presente nas nossas relações, afeta também as pessoas mais novas, mas no idoso tem um impacto muito grande”, comenta.

Sobre o tema central debatido no “Junho Violeta”, Mariana é enfática em trazer à luz as diversas formas de violência sofridas pela população idosa, que não chegam sempre na forma física. “A violência envolve o abandono e a negligência, a violência sexual, o abuso psicológico, a violência financeira – que envolve o patrimônio –, e esses diversos tipos de violência muitas vezes ficam camuflados na sociedade”, conclui.

A programação extensa do mês contou também com a palestra do gestor do Centro, o Prof. Me. Vanderlei Palandrani Júnior, sobre a violência contra a pessoa idosa.

“Foi muito importante para o Vitalità conectar-se com a Coordenadoria do Idoso e a comunidade em um evento tão importante que visa à construção de uma cultura de respeito à pessoa idosa, conhecimento do processo de envelhecimento e valorização das relações intergeracionais”, explicou.



Carlos Giacomeli
27 de junho de 2022