Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

UNIVERSIDADE INCENTIVA COOPERAÇÃO E SOLIDARIEDADE ENTRE ESTUDANTES PARA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES

O Grupo de Vivência Cooperativa e Solidária, em funcionamento na PUC-Campinas desde o segundo semestre de 2018, auxilia estudantes que buscam apoio para enfrentar problemas no ambiente acadêmico e também de ordem pessoal, em especial dificuldades de adaptação às mudanças acarretadas pelo ingresso na vida universitária. Com a participação de alunos bolsistas e voluntários, ele promove encontros e atividades que auxiliam na busca de novos horizontes por meio da colaboração entre os próprios estudantes. O grupo está divulgando os locais, dias e horários atualizados dos encontros (veja no final do texto).

O objetivo é criar pequenos grupos na Universidade onde os estudantes se encontrem, partilhem suas experiências tanto em nível pessoal quanto acadêmico, e, com uso de metodologia cooperativa, diante das inúmeras circunstâncias que se apresentam ao longo da vida universitária, possam se ajudar mutuamente.

O Prof. Me. José Donizeti de Souza, Coordenador Geral do Projeto, diz que foi conhecer uma experiência da Universidade Federal do Ceará (UFC), na qual um professor nascido no sertão do Estado implantou um método de trabalho para incentivar crianças pobres de sua cidade a se dedicar aos estudos e ingressar na universidade.

“O trabalho começou em um barracão emprestado pelo irmão desse professor, onde sete jovens foram morar para se dedicarem aos estudos. Ele fez um acordo com os pais para que deixassem os filhos um período longe da roça e apenas estudando. Em troca, deu o local para estudarem e dormirem e pagava a comida. Um deles acabou sendo o primeiro colocado no Curso de Direito da Federal. Depois disso, mais de 500 jovens procuraram apoio do Projeto”, conta.

Iniciado em 1994, atualmente ele faz parte de um curso de extensão da UFC, tem centenas de bolsistas e voluntários e os seus participantes administram até uma escola pública vencedora de diversos prêmios e com 100% de aprovação no Enem.

O princípio da iniciativa cearense é a cooperação, a troca de experiências e apoio mútuo. No início, por exemplo, cada aluno estudava uma disciplina e depois ensinava aos outros. Muitos dos que passaram no vestibular também voltaram depois para ajudar outros jovens.

O Grupo implantado na PUC-Campinas segue o mesmo princípio de cooperação, embora o foco não seja, a princípio, ajudar nos estudos, mas sim em outras questões acadêmicas e pessoais de quem está iniciando a vida universitária.

“Muitos estudantes chegam aqui muito novos, mudam de cidade, passam a morar longe da família pela primeira vez, vivem experiências acadêmicas novas, têm de se adaptar a regras diferentes na Universidade, conviver com novos colegas. O objetivo do grupo é que possam ter quem ouça os seus problemas e todos se auxiliem na busca de soluções”, diz a Profa. Me. Lúcia Maria Ducasble Gomes, Integradora Acadêmica do Projeto.

O Reitor da PUC-Campinas, Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior, de quem partiu a iniciativa de criar o Grupo, ressalta que a Universidade é sensível aos desafios que se impõem aos estudantes e está comprometida em apoiá-los nestes momentos de superação. “O Grupo de Vivência Cooperativa e Solidária é um projeto que vai ao encontro da missão da PUC-Campinas, que preza pela formação integral da pessoa humana.”

Expansão

O grupo começou a funcionar em outubro de 2018, após um período de preparação de material teórico, cadastramento e treinamento de bolsistas e voluntários, e preparação de local e material de trabalho. O primeiro local a funcionar foi no CCV (Centro de Ciências da Vida).

O projeto foi expandido durante este ano para outros Centros da Instituição. Cada Centro tem quatro bolsistas, totalizando 20 em toda a Universidade, que foram convidados a participar após indicação dos professores, além dos voluntários.

“Os bolsistas devem ter algumas características, como responsabilidade, gostar de ajudar e saber ouvir”, diz a professora. Outro ponto importante do grupo é o sigilo, pois nada de que é falado nos encontros é divulgado, nem os nomes dos participantes. Caso sejam relatadas nas reuniões problemas ou queixas que possam ser resolvidos em outros departamentos da PUC, eles podem ser encaminhados caso o estudante deseje.

Não há necessidade de inscrição ou agendamento. Também não há nenhuma obrigação de participar das atividades e podem deixar de frequentar o grupo assim que desejarem. Confira os horários abaixo:

CAMPUS II

CCV (Bloco A/Sala A 27) – Às quartas, das 11:35 às 13:15 e das 17:30 às 19:15

CAMPUS I

CLC (Bloco H-05/Sala 833 A) – Às segundas, das 11:35 às 13:15 e das 17:30 às 19:15

CCHSA (Bloco C/Sala 302) – Às terças, das 17:30 às 19:15 e as sextas das 11:35 às 13:15

CEA (Bloco H-04/Sala 912) – Às segundas, das 11:35 às 13:15
(Bloco H-04/Sala 909) – Às quartas, das 18:00 às 21:00

CEATEC (Prédio CT/Sala A 201) – Às terças, das 11:35 às 13:15
(Prédio CT/Sala A 205) – Às quartas, das 18:00 às 21:00



Marcelo Andriotti
2 de dezembro de 2019