Observatório PUC-Campinas
Observatório
PUC-Campinas
Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno
workpiece of car tires on the line at factory work in progress

Queda na exportação de produtos complexos freia desenvolvimento socioeconômico da RMC

Estudo do Observatório PUC-Campinas vê resultado como reflexo da crise na Argentina

O déficit da balança comercial na Região Metropolitana de Campinas (RMC) registrou, segundo levantamento do Observatório PUC-Campinas, o maior valor no ano, superando a marca de 5 bilhões de dólares. No mês de agosto, especificamente, o destaque negativo foi para a diminuição de 28,6% nas exportações de produtos de alta complexidade, essenciais para o desenvolvimento econômico e social da região.

O economista Paulo Ricardo Oliveira, responsável por analisar os dados extraídos do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, avalia que o resultado é reflexo da queda de vendas de motores à combustão para o exterior, sobretudo para a Argentina, que vem enfrentando uma forte crise econômica, com desvalorização de sua moeda e inflação crescente. “É um número ruim para um dos polos tecnológicos mais importantes do país, considerado o Vale do Silício brasileiro. A concentração na exportação de produtos complexos representa maior capacidade de geração de renda, produtividade e distribuição de renda”, frisou.

Além dos motores à combustão, outros produtos de alta complexidade estão na pauta de exportação da RMC: instrumentos de laboratório; partes de ferramentas feitas de ceramais e carbonetos metálicos sintetizados; chapas e filmes fotográficos; e sucatas de ceramais.

Outros resultados

Apesar da situação, o estudo apontou que o volume de exportações obteve número recorde no acumulado do ano (de janeiro a agosto): foram 3,05 bilhões de dólares em mercadorias vendidas para o exterior.

Houve aumento nas exportações de veículos (31,34%), medicamentos (10,92%), autopeças (11,49%) e partes de motores (20,09%). Contudo, as quedas foram registradas nas vendas de soja (-86,39%), açúcar (-65,22%), outros resíduos de soja (-74,97%), sabões e similares (-6,5%).

“Ainda assim, nota-se um agravamento dos déficits comerciais na RMC, pois as importações continuam a crescer em ritmo mais acelerado”, destacou o docente.

No que diz respeito aos produtos importados, destaque para sementes de soja, com crescimento de 25,06%, alho e cebola (40,29%), fios, cabos e condutores (4,6%) e, de forma mais expressiva, pneus novos (197,91%).

Observatório PUC-Campinas

O Observatório PUC-Campinas é responsável pelo monitoramento de dados socioeconômicos da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e está, atualmente, amparado em quatro eixos temáticos: Atividade Econômica/Comércio Internacional; Emprego/Renda; Sustentabilidade/ Desafios do Milénio; e Indicadores Sociais. Os estudos se estruturam na seleção de indicadores e análise sistêmica de dados que podem ser usados em diversos setores da sociedade.


Pesquisar

Veja também

Vestibular 2019: PUC-Campinas divulga gabarito da Prova Geral

PUC-Campinas divulga gabarito da Prova Específica de Direito

Celebrado no dia 20 de outubro, PUC-Campinas apoia Dia Nacional da Filantropia

PUC-Campinas lança IoT Academy no InovaCampinas

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica realiza oficina aberta ao público