Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

O Hospital Celso Pierro, que já realiza cirurgias cardíacas e angioplastias para pacientes de convênios privados e particulares, recebeu autorização do Ministério da Saúde para oferecer 24 intervenções cirúrgicas por mês pelo convênio do SUS. A preocupação, agora, é com a oferta do Hemocentro da cidade, para que possa atender às novas cirurgias.

O Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP), da PUC-Campinas, está credenciado pelo Ministério da Saúde, desde o dia 2 de outubro, para oferecer cirurgias cardíacas pelo convênio do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o credenciamento, o Celso Pierro poderá realizar 24 procedimentos por mês, sendo 12 cirurgias cardíacas e 12 angioplastias (procedimento utilizado para tratamento de doenças obstrutivas arteriais), totalizando até 288 intervenções por ano.

Segundo o superintendente do HMCP, Antônio Celso de Moraes, o hospital conta com estrutura e equipe profissional prontas para corresponder às demandas provenientes do credenciamento. “O Hospital já vem realizando cirurgias cardíacas para pacientes de convênios privados e para usuários do convênio do SUS em situações críticas, com risco de morte”, observa o superintendente.

As cirurgias cardíacas são indicadas para pacientes que têm doenças arteriais coronarianas graves, como o infarto. Os pacientes a serem atendidos pelo convênio do SUS devem ter encaminhamento médico do próprio hospital e das Unidades Básicas de Saúde (UBS). O Serviço de Cardiologia, responsável pelos procedimentos cirúrgicos, entram em contato com os pacientes indicados para agendar as cirurgias.

Moraes informa que o hospital ampliará até o final deste ano a Unidade Coronária, para onde são encaminhados os pacientes após a cirurgia, de 7 para 12 leitos. “Com isso, poderemos atender mais pacientes e com a mesma qualidade”, observa.

Disponibilidade de sangue é fator limitador
Uma das grandes preocupações da direção do Hospital em corresponder à capacidade de atendimento proporcionada pelo credenciamento é com a oferta do Hemocentro da cidade de Campinas. Para cada cirurgia cardíaca são necessários cerca de 30 doadores voluntários de sangue. O superintendente do Celso Pierro observa, no entanto, que as doações são instáveis e há constante carência de oferta para alguns tipos sangüíneos.

“Acho que é o momento da população se conscientizar sobre a importância de ampliar as doações. É uma decisão que não envolve qualquer risco para a saúde do doador e da qual dependerá a vida de muitas pessoas”, adverte Moraes.

Para doar, basta ir em uma das unidades do Hemocentro com o documento de identidade (RG). Cada doador fornece 450 ml de sangue com intervalo mínimo de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres. Cada bolsa de sangue pode salvar até 3 vidas.

Serviço
O Serviço de Cardiologia do Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP), da PUC-Campinas, sob responsabilidade do médico José Francisco Kerr Saraiva. Conta com 25 cardiologistas e 3 médicos residentes. É composto por Hemodinâmica (Cateterismo Cardíaco) com capacidade de realizar 10 atendimentos por dia, Unidade Coronária com 7 leitos e exames de ergometria, holter, ecocardiograma e eletroencefalograma e consulta médica, todos com atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e convênios privados e particulares.

Hoje, Campinas possui uma demanda de 1.300 procedimentos cardíacos por ano, mas são feitos apenas 200. O Serviço de Cardiologia do Hospital e Maternidade Celso Pierro, estruturado com as Unidades Coronária e Hemodinâmica, realizará pelo convênio do Sistema Único Saúde (SUS) 24 procedimentos cirúrgicos por mês.



Portal Puc-Campinas
13 de outubro de 2006