Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

A cidade ultrapassou o município de Jaguariúna assumindo a liderança do ranking das maiores importadoras da região

O aumento das importações na Região Metropolitana de Campinas (RMC) continua em ritmo acelerado. Já, as exportações crescem em passos lentos. Somente o município de Campinas registrou um aumento de 66% das importações, conquistando a marca da maior importadora da RMC, passando inclusive o município de Jaguariúna, que passou a ser a maior exportadora da RMC. Esses são alguns dos dados revelados pelo Boletim Econômico PUC-Campinas – Acompanhamento do Comércio Exterior da RMC, realizado entre janeiro a junho deste ano, pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas. A íntegra da pesquisa pode ser conferida no Portal da Universidade – www.puc-campinas.edu.br/imprensa.

Segundo o professor, o aumento do crescimento das importações em Campinas deve-se, sobretudo ao fato da cidade ser um pólo fornecedor de bens de consumo, de materiais e insumos para toda a RMC. “Os grandes centros atacadistas e de vendas de automóveis, por exemplo, estão na cidade de Campinas. Esse é um dos fatores que contribuíram para o aumento das importações”, explicou Ribeiro.

O acompanhamento de Comércio Exterior realizado pelo professor ainda identificou que a exportação para o MERCOSUL, principal destino dos bens da RMC, aumentou em 23,9%. Já as importações registraram crescimento de 51,6% daquelas provenientes da Ásia. Ainda de acordo com o estudo a RMC exportou 3 bilhões de dólares e importou 5,2 bilhões de dólares no período. Em relação ao primeiro semestre de 2007 a exportação cresceu 7,5% e a importação cresceu 42,3%.

O déficit no comércio exterior da RMC no período foi de 2,2 bilhões de dólares. Desta forma, o déficit comercial da RMC aumentou em 156% em relação ao mesmo período em 2007.



Portal Puc-Campinas
17 de julho de 2008