Observatório PUC-Campinas
Observatório
PUC-Campinas
Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno

Políticos se apropriam da expressão “Fake News” para desqualificar denúncias

Debatedores de evento realizado na PUC-Campinas divergem sobre uso do termo por formadores de opinião.

Um dos temas mais preocupantes da atualidade, que tem influenciado eleições, incitado ódio e violência e até colocado a saúde pública em risco, as Fake News foram discutidas por especialistas em um debate realizado no Auditório Dom Agnelo Rossi, no Campus I da PUC-Campinas, na noite do dia 30 de abril. Entre as formas de combater esse mal digital, a mais polêmica é a proposta de não se usar mais o termo “Fake News” na imprensa e por formadores de opinião, pois ele tem sido apropriado por lideranças políticas para desqualificar denúncias.

Professores e estudantes, principalmente dos Cursos de História e Jornalismo, lotaram o auditório para acompanhar as apresentações dos jornalistas Ivan Paganotti, do “Vaza, Falsiane”, e Marco Túlio Rodrigues Pires, do Google News Lab, no evento “História, Jornalismo e Informação na era das Fake News“. O debate posterior às apresentações foi mediado pelos professores Gustavo Oliveira, da Faculdade de História, e Juliana Sangion, da Faculdade de Jornalismo.

Marco Túlio mostrou algumas das propostas do Google para combater as notícias falsas, entre elas o aprimoramento dos algoritmos da ferramenta de buscas para detectar esse tipo de material e indicar as fontes mais confiáveis. Também há trabalhos de educação digital, ensinando os usuários a detectarem as fontes não confiáveis, e trabalho junto a grandes meios de comunicação e produtores de conteúdo em geral.

Mas o que mais chamou a atenção foi a política do Google de não usar mais o termo “Fake News”, trocando por “conteúdos enganosos”, “fabricados” ou “manipulados”. “Lideranças políticas em todo o mundo se apoderaram do termo e usam para desqualificar denúncias ou quem quer questionar suas condutas. Por isso, achamos que não devemos reforçar mais o termo que está sendo mal utilizado”, disse Túlio.

Paganotti, pesquisador e criador do site e curso que ensina a detectar notícias falsas, discorda da tática e diz que não se deve desprezar um termo já consagrado. “Vocês estão aqui neste auditório porque o nome do evento traz o termo ‘Fake News’, que atrai a atenção do público. Podemos até discutir quando devemos ou não usar, mas não deixar de citá-lo”, afirmou.

Os debatedores, entretanto, concordam com o fato de o combate às notícias manipuladas ser uma tarefa que deve envolver várias frentes. Não basta os mecanismos de busca e as redes sociais mudarem seus algoritmos e políticas de acesso e relacionamento de usuários. É preciso também um processo de “alfabetização digital” por parte dos usuários e de investimentos em conteúdo de qualidade por parte dos meios de comunicação.




Pesquisar



Próximos eventos


dez
10
ter
08:30 Hackatruck na PUC-Campinas
Hackatruck na PUC-Campinas
dez 10@08:30 – dez 13@17:00
Hackatruck na PUC-Campinas @ Campus I
A PUC-Campinas, em parceria com a IBM e com o Instituto Eldorado, realiza o workshop “Hackatruck na PUC-Campinas” para alunos, professores e profissionais convidados, com atividades[...]

Estude na PUC-Campinas

Termina domingo período de inscrições para o Vestibular de Inverno 2019

Universidade divulga calendário do Processo Seletivo – Vestibular 2020

Universidade divulga o Resultado do Novo Vestibular 2019

PUC-Campinas divulga o Resultado da 4ª Chamada Vestibular Social 2019

Veja a lista de aprovados nos Cursos de Especialização

Veja também

Projetos sustentáveis desenvolvidos por alunos da Universidade são expostos no Paço Municipal de Campinas

Novos Cursos de Especialização nas áreas de Comunicação Digital e Linguagem

Déficit comercial da RMC até novembro já supera todo o acumulado de 2018, mostra Observatório PUC-Campinas

Veja documentário feito para WhatsApp por alunas de Jornalismo sobre tiroteio na Catedral

Aberto processo seletivo para o Curso de Bacharelado em Teologia