Observatório PUC-Campinas
Observatório
PUC-Campinas
Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno

Egresso de Jornalismo é finalista do Prêmio Vladimir Herzog

Importante premiação, entregue desde 1979, incentiva denúncias contra a violação dos direitos humanos

O fotógrafo Luciano Claudino, egresso da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, participa nesta quinta-feira, dia 11 de outubro, do “40º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos”, ao qual concorre com uma fotografia tirada em março deste ano durante manifestação do Dia das Mulheres.

A imagem, utilizada como ilustração na reportagem do portal ‘ACidade ON Campinas’, registra a prisão de uma mulher que acompanhava a passeata na Avenida Francisco Glicério, no centro da cidade. “A jovem foi acusada de ter pichado o muro de uma agência bancária, foi colocada dentro da viatura e uma confusão começou. Fiz a foto e consegui mostrar o olhar dela diante daquele fato. Depois de receber muitas mensagens nas redes sociais, percebi que tinha feito algo bom”, relatou o jornalista, formado em 2009 na Universidade.

No total, mais de 600 trabalhos foram inscritos na premiação de 2018, que incluem produções jornalísticas de diversas categorias: arte, texto, áudio, vídeo e multimídia, além de fotografia, na qual Luciano é finalista junto a outros cinco profissionais, que tiveram seus cliques inseridos em matérias de veículos representativos na imprensa brasileira, como Estadão e Exame.

“É uma vitória imensa, pois, além de poder expor um trabalho que exalta a força das mulheres, vou estar ao lado dos maiores fotojornalistas no país. A expectativa é grande”, completou.

Foto Luciano Claudino - Prêmio Herzog

 Prêmio Vladimir Herzog

 O tradicional Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, concedido aos profissionais e veículos de comunicação desde 1979, reconhece as produções que se destacam na defesa da democracia, da cidadania e dos direitos humanos sociais.

A premiação carrega o nome do ex-jornalista da TV Cultura, assassinado em 1975 após ter sido acusado de ligações com o Partido Comunista Brasileiro, durante o regime militar. Até hoje, ele é considerado um personagem icônico na história do Brasil e da construção da democracia no país.


Pesquisar

Veja também

Cursinho Popular da Faculdade de Arquitetura abre inscrições para 2019

Universidade participa de projeto para criar Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável

Resultado da 1ª Chamada e os Pré-Selecionados em 2ª Chamada – Vestibular Social 2019

Local da Prova do Novo Vestibular 2019

Universidade divulga lista de aprovados nos Cursos de Especialização