Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Os dados do Boletim Econômico PUC-Campinas, referentes a setembro de 2008 a janeiro de 2009, sobre o emprego na Região Metropolitana de Campinas (RMC) mostram que Campinas apresentou o pior desempenho dos municípios que compõe a RMC, com um corte de 1.885 vagas (18% do total). No total a RMC perdeu cerca de 10.565 postos de trabalhos formais.

A situação se agravou entre novembro e dezembro, com isso foram criadas apenas 31 mil novas vagas em 2008, número abaixo da média se comparado com 2007, quando surgiram 46 mil novas vagas. As únicas cidades a apresentarem um saldo positivo de criação de emprego foi Paulínia e Pedreira (213 e 28 vagas). A pesquisa revela que as demissões superaram as contratações.

Nos setores industriais da RMC houve um corte de 11,6 mil vagas, sendo o pior desempenho no setor de material de transportes. As microempresas foram as únicas a apresentarem um saldo positivo de 7.142 novos postos de trabalho. Entre os trabalhadores atingidos, os homens foram os mais afetados, representando 90%. As faixas etárias mais afetadas foram de 25 a 39 anos e de 40 a 65 anos.

O Boletim ainda mostra, que do total das vagas de emprego perdidas no estado de São Paulo a RMC representa 4%. No total, as demissões superaram as contratações. As cidades que se destacam em termos de remuneração são Hortolândia (R$ 1.145) e Jaguariúna (R$ 1.117). O Boletim Econômico PUC-Campinas – Acompanhamento de Emprego da RMC é realizado pela professora Eliane Navarro Rosandiski do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas.



Portal Puc-Campinas
25 de março de 2009