Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

PUC-Campinas recebe espetáculo sobre a doença de Alzheimer

 Apresentações, que fazem parte do projeto “Arte na Cidade”, são gratuitas e abertas ao público

A doença de Alzheimer, enfermidade que afeta, segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil, é o tema central da apresentação de dança “Se você se perdesse de si”, do Grupo Lapso, que será realizada nos dias 7 e 8 de novembro, às 10h, nos auditórios Dom Gilberto e Monsenhor Salim da PUC-Campinas. A atividade é gratuita e aberta ao público.

As apresentações são parte do projeto “Arte na Cidade”, do Centro de Cultura e Arte (CCA) da Universidade, que também conta, nesta ocasião, com o apoio da Coordenadoria de Atenção à Comunidade Interna, dos Departamentos de Recursos Humanos e Medicina do Trabalho e do Centro de Ciências da Vida.

O espetáculo, que aborda problemas e vivências relacionados à doença de Alzheimer, foi ideia da atriz e bailarina Andreia Andrade, participante do grupo, que resolveu ouvir as histórias das pessoas acometidas pela patologia. “Tudo partiu de um sonho. Eu precisava escolher um tema para a montagem do meu trabalho de conclusão de curso, mas não sabia ao certo sobre o que seria. Então acordei com isso muito forte na cabeça e comecei a pesquisar a respeito. Retomei contato com famílias que haviam vivenciado as consequências da doença. Assim surgiu a ideia de explorar a temática”, destacou.

                    SPS 3                SPS 4

Criado em 2015, ano em que fez uma curta temporada, o grupo volta aos palcos composto por três artistas: além de Andreia, a artista de dança e circo Milena Pereira dos Santos, e o músico Gustavo de Angelis Pimentel são responsáveis, respectivamente, pela criação da poesia cênica e pelas trilhas sonoras. Fora de cena, participam os profissionais encarregados pela produção, direção e iluminação do espetáculo.

Gustavo, aos 23 anos, tem marcada na memória a experiência com o avô, que conviveu com o Alzheimer por seis anos até falecer. O jovem conta que a doença, além de fragilizar o homem que era o exemplo de inteligência racional na família, gerou um forte impacto emocional em todos aqueles que estavam ao seu redor. “Em pouco tempo a doença avançou e ele começou a se perder, a gastar dinheiro sem controle, a ter picos de agressividade, e a se esquecer cada vez mais das coisas, dos nomes, das pessoas. Foi um processo doloroso para todos nós”, frisou.

Por essa razão, o espetáculo busca disseminar, desta vez no ambiente acadêmico, a reflexão a respeito da doença, que ainda tem poucas campanhas de conscientização. “Demonstramos as fases da doença dentro do espetáculo de modo informativo, sensitivo e sensorial, de maneira a priorizar as relações que se transformam dentro do ambiente familiar, pois a patologia afeta não apenas o paciente, mas também os familiares, que precisam de apoio para seguir nessa jornada”, completou Andreia.

Serviço

Datas: 07 e 08 de novembro

Horário: 10h

Locais: Auditórios Dom Gilberto (Campus I) e Monsenhor Salim (Campus II), respectivamente

Entrada: gratuita

Informações: www.puc-campinas.edu.br/cca e (19) 3343-5810



Vinícius Purgato
5 de novembro de 2018