Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Crise financeira internacional fez com que o movimento de importações e exportações da Região Metropolitana de Campinas fosse invertido no último trimestre de 2008

De acordo com o Boletim de Comércio Exterior da Região Metropolitana de Campinas (RMC), realizado pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração da PUC-Campinas, o ano de 2008 foi marcado por um grande movimento importador.

Segundo o estudo, a importação teve um crescimento da ordem de 31,7% enquanto a exportação cresceu apenas 3,7%. No ano, a RMC exportou 6,1 bilhões de dólares e importou 11,4 bilhões de dólares. A íntegra do Boletim pode ser consultada na internet, no site da PUC-Campinas – www.puc-campinas.edu.br.

Os dados do estudo indicam que a crise financeira internacional passou a afetar as empresas da RMC e por consequência o comércio externo. Nos três primeiros meses de crise, a partir de outubro, ocorreu uma diminuição mais acentuada da importação da região. A importação entre setembro e dezembro de 2008 recuou 47,7% enquanto neste mesmo período a exportação diminuiu 22,5%.

De acordo com o professor, especificamente a cidade de Campinas teve um aumento de 59% das importações, e diminuição da exportação da ordem de 4,1%. Campinas passou a ser o maior município em importação da RMC, ultrapassando Jaguariúna.

A análise ainda revela que os bens produzidos em Campinas têm como principal destino a Argentina e como principal fornecedor externo de bens a China, que em 2008 ultrapassou fornecedores tradicionais como a Alemanha, os Estados Unidos e a Coréia do Sul.

O grande movimento importador foi mais acentuada na categoria de bens de capital e bens intermediários que indica que as empresas adquiriram mais máquinas, equipamentos e insumos no exterior. E, mesmo tendo uma redução nas exportações, a cidade de Jaguariúna manteve-se com as maiores vendas no exterior da RMC, seguida por Campinas.



Portal Puc-Campinas
26 de janeiro de 2009