Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

PUC-Campinas coordena congresso e jornada voltados à história ferroviária 

Eventos on-line reunirão pesquisadores e estudantes da América Latina 

 

Serão realizados pela PUC-Campinas, de 9 a 11 de setembro, o V Congresso Internacional de História e Patrimônio Ferroviário e a IV Jornada de Jovens Pesquisadores em História e Patrimônio Ferroviário. O objetivo do evento é estimular o conhecimento nas áreas de história ferroviária e patrimônio ferroviário, perseguido pelas entidades envolvidas. O evento, que seria presencial, foi modificado para a versão virtual devido à pandemia.

 

Para se inscrever e ver programação completa, clique aqui.

  O V Congresso tem como tema central “Os legados para nosso futuro” e discutirá o papel do transporte ferroviário na atualidade, em particular nos países da América Latina. O evento contará com vários temas e contribuições que apontem os avanços na pesquisa, na gestão da preservação e uso dos bens ferroviários, e a importância desses bens patrimoniais para o desenvolvimento social.

A IV Jornada de Jovens Pesquisadores apresentará os resultados científicos alcançados por pesquisadores em nível de graduação e pós-graduação em pesquisas sobre história ferroviária, estudos urbanísticos e de preservação do patrimônio industrial ferroviário.

 

Confira abaixo os temas que serão debatidos pelos participantes, pesquisadores e estudantes no Congresso e na Jornada.

 

Temáticas 

Temáticas do V Congresso Internacional de História e Patrimônio Ferroviário “Os legados para nosso futuro”, direcionadas a pesquisadores e profissionais:  

Temática 01: Educação e ferrovia: oportunidades de estímulo ao aprendizado por meio dos bens industriais ferroviários na América Latina

Temática 02: Museus e ferrovias: a cultura do transporte como desafio à preservação e comunicação arquitetônica e museológica

Temática 03: A gestão da herança ferroviária no território (moradias, vias férreas e obras de arte): instrumentos e modelos de preservação envolvendo entidades civis públicas e privadas

Temáticas da IV Jornada de Jovens Pesquisadores em História e Patrimônio Ferroviário, voltadas para graduandos, pós-graduandos ou recém-doutores: 

Temática 04: Novos instrumentos metodológicos e/ou enfoques teóricos para identificação de vestígios materiais e da memória ferroviária

Temática 05: Novas fontes documentais ou materiais para estudo do patrimônio urbano e da memória do trabalho ferroviário

Temática 06:  Estudos multidisciplinares sobre patrimônio ferroviário

Temática 07: Estudos locais e análises transversais sobre a história, a arquitetura e os contextos urbanos do patrimônio ferroviário

 

Programação 

 

09/setembro 

9h00 – 9h30 – Abertura

Dra. Laura Machado de Mello Bueno (Coordenadora do POSURB-ARQ PUC-Campinas)

Dra. Maria Cristina Schicchi (GRUPO PPGT – PUC-Campinas)

Dr. Henry Jacolin (President honorário – AIHF – IRHA)

Dr. Eduardo Romero de Oliveira (TICCIH/Brasil)

9h30 – 10h00 – Conferência de abertura

Dr. Henry Jacolin (President honorário – AIHF – IRHA)

10h00 – 12h00 Conferência Mesa 1

Educação e ferrovia – Oportunidades de estímulo ao aprendizado por meio dos bens industriais ferroviários na América Latina

Moderador: Eduardo Romero de Oliveira (UNESP)

Debatedor: Cristina Meneguello (UNICAMP)

Dra. Gracia Dorel-Ferré (LLSETI, Paris, França) – El patrimonio ferroviário, un campo de estudio privilegiado del aprendizaje en educación

Dra. Zaida Garcia Valecillo (Universidad Pedagógica Experimental Libertador, Venezuela) – Educación Patrimonial y desarrollo sostenible: Enfoques pedagógicos a través del patrimonio industrial.

12h30 – 14h00 – INTERVALO / ALMOÇO

14h00 – 16h30 – SESSÕES TEMÁTICAS

 

Sessão Especial 

14h00 – 16h00 – Apresentação e discussão do projeto Memória Ferroviária e Cultura do Trabalho

Dr. Eduardo Romero de Oliveira (UNESP)

Dra. Maria Cristina da Silva Schicchi (PUC-Campinas)

Dr. Samir Hernandes Gomes (UNESP)

Dr. Juan Manuel Cano Sanchiz (USTB/ICHHST, China)

16h00 – 16h30 – Lançamento de livros

TEMÁTICA 1 – Educação e ferrovia: oportunidades de estímulo ao aprendizado por meio dos bens industriais ferroviários na América Latina

16h30 O patrimônio ferroviário de chiador – MG e seu simbolismo como potencial fonte de ensino perante à sua restauração

16h45 Cenários além dos likes: uma proposta de atividade lúdica na Estação Cultura de Campinas através da fotografia de celular

17h00 La economía cafetera y la implementación del ferrocarril de Cúcuta

 

Debate 

TEMÁTICA 2 – Museus e ferrovias: a cultura do transporte como desafio à preservação e comunicação arquitetônica e museológica

16h30 A preservação da locomotiva diesel/elétrica e o carro de aço no Brasil. Natureza e perspectivas para a salvaguarda e musealização de bens modernos e contemporâneos das ferrovias brasileiras

16h45 Centro Cultural Estação Ferroviária de Pelotas, S.S.: história, memória e mobilidade urbana em diálogo

17h00 A preservação do acervo do núcleo de documentação do Museu Ferroviário Regional de Bauru e sua “publicização” através do projeto Museu Ferroviário com o auxílio da história pública e história digital

17h15 Museus Ferroviários no Brasil: considerações sobre processos museológicos, comunicação e público

17h30 Rotundas ferroviárias: Dois Exemplos, Duas Realidades

 

Debate 

TEMÁTICA 3 – Gestão daherança ferroviária no território (moradias, vias férreas e obras de arte)h instrumentos e modelos de preservação envolvendo entidades civis públicas e privadas

16h30 Plano nacional de identificação, proteção e divulgação do patrimônio industrial argentino

16h45 Posto Algodoeiro Matarazzo, Avaré, SP

17h00 El ferrocarril de Montaña de la Braden Copper Company.

17h15 Perspectivas para o turismo ferroviárioh Estudohistórico sobre a primeira ferrovia do Brasil

Debate 

 

10/setembro 

09h30 – 12h00 – Conferência Mesa 2

Museus e ferrovias: A cultura do transporte como desafio à preservação e comunicação arquitetônica e museológica

Moderador: Ana Paula Farah (PUC-Campinas)

Debatedor: Samir Hernandes Gomes (UNESP)

Ms. Martha Patricia Albores Morales (Subdirectora de Museología y Museografía / Museo Nacional de los Ferrocarriles Mexicanos, Puebla, México) – Museografía ferroviaria en México

Dr. Juan Manuel Cano Sanchiz (USTB/ICHHST, China):  A imagem do trem na China: museus, tecnologia e narrativas de progresso

Dra. Marilia Xavier Cury (MAE/USP, Brasil): Museus industriais: uma comunicação ao público sobre empresa e a tecnologia

12h30 – 14h00 – INTERVALO / ALMOÇO

14h00 – 18h30 – SESSÕES TEMÁTICAS

Temática 6 – Estudos multidisciplinares sobre patrimônio ferroviário

14h00 Patrimônio ferroviário e modelos de uso: os trens turísticos no Brasil.

14h15 Um olhar geográfico para os espaços do patrimônio ferroviário.

14h30 A história das ferrovias brasileiras: uma perspectiva jornalística.

 

Debate 

Temática 7 – Estudos locais e análises transversais sobre a história, a arquitetura e os contextos urbanos do patrimônio ferroviário

14h00 Patrimônio, arquitetura e modais de transporte: O caso da Estação Rodoferroviária de Brasília

14h15 Entre o esquecimento e as marcas de uma artéria férrea do noroeste paulista: Estrada de Ferro Araraquara – EFA (1895 – 1912)

14h30 História, memória e patrimônio ferroviário: O legado da Central do Piauí em Parnaíba-PI, 1916 a 1980

14h45 Guaianases: a ferrovia e o processo de urbanização de um distrito da região leste de São Paulo, 1875-2000

15h00 Um surto de progresso no Piauí: A construção de ferrovias na região nas primeiras décadas do século XX

 

Debate 

Temática 4 – Novos instrumentos metodológicos e/ou enfoques teóricos para identificação de vestígios materiais e da memória ferroviária

14h00 Pelas trilhas de ferro: Uma perspectiva conceitual do Patrimônio Cultural ferroviário na Roça Agostinho Neto

14h15 Sonoridades urbanas: A Estação Ferroviária da Aracaju (1913)

14h30 Rastros ferroviários sobre as ruas: a Tramway Cantareira no Jaçanã

14h45 O futebol ferroviário no Estado de São Paulo: entre o lazer e o controle

15h00 O comparativo como ferramenta de análise na arquitetura ferroviária

 

Debate 

16h00 – 16h30 – INTERVALO

Temática 7 – Estudos locais e análises transversais sobre a história, a arquitetura e os contextos urbanos do patrimônio ferroviário

16h00 Terceiro T.R.E.M – A Linha da Máquina santista, uma nova observação sobre o objeto

16h15 Memórias de uma nova centralidade: O complexo da estação de triagem em Bauru

16h30 Os pátios ferroviários de Campina Grande: Pelas linhas do trem, pelas linhas do tempo

16h45 O papel da Revista Informação Goyana no processo de prolongamento dos trilhos da Estrada de Ferro Goyaz

17h00 Miraí-MG e a Estrada de Ferro: Análise da relação entre o ramal ferroviário Cataguases-Miraí da Estrada de Ferro Leopoldina e a configuração e desenvolvimento da cidade

 

Debate 

Temática 4 – Novos instrumentos metodológicos e/ou enfoques teóricos para identificação de vestígios materiais e da memória ferroviária

16h00 Conjunto ferroviário da estação de Campinas: Levantamento da percepção da população do entorno sobre o bem patrimonial protegido

16h15 Os valores não materiais do patrimônio na teoria de Barbara Appelbaum. Os Desafios da Conservação da Majestosa Locomotiva Guindaste Leslie Nr. 47, em Santos Dumont, MG

16h30 A ressignificação da antiga estação da Companhia Paulista de Estradas de Ferro: Um lugar de memória

16h45 Das ruínas do trabalho aos patrimônios das cidades: Durações ferroviárias no Rio Grande do Sul

17h00 Os ramais da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro em Campinas-SP e São José do Rio Pardo-SP: SIG histórico e novas narrativas sobre os agentes modeladores do território e da cidade

 

Debate 

Temática 6 – Estudos multidisciplinares sobre patrimônio ferroviário

16h00 Modernidade e comunicações: Meios de transporte e o território urbano

16h15 O sujeito e o patrimônio cultural industrial: Uma análise da construção do sujeito a partir de suas memórias do complexo ferroviário de Assis

16h30 Estrada de Ferro de Bragança: Vestígios das oficinas e vila operária da primeira ferrovia construída na Amazônia

16h45 A noção de patrimônio urbano na tutela do patrimônio ferroviário: requalificação a partir de espaços ferroviários obsoletos

Debate 

11/setembro 

9h30 – 12h30 – Conferência Mesa 3

A gestão da herança ferroviária no território (moradias, vias férreas e obras de arte): instrumentos e modelos de preservação envolvendo entidades civis públicas e privadas

Moderadores: Jonathas Magalhães Pereira da Silva (PUC-Campinas)

Debatedores: Maria Cristina Schicchi (PUC-Campinas)

Dr. Sebastián Andrés Seisdedos Morales (Pontificia Universidad Católica de Chile) – Ferrocarriles de montaña y paisaje cultural en Chile Central. Rieles conquistando la cordillera de Los Andes por los valles de los ríos Aconcagua y Maipo a inicios del siglo XX

Dra. Vera Regina Tângari (PROARQ-FAU/UFRJ, Brasil): Territórios e paisagens ferroviárias: aspectos morfológicos, identitários e patrimoniais

Dra. Monica Ferrari (Universidad de Tucumán/Argentina): La gestión del patrimonio ferroviario en Argentina. Realidades y propuesta

12h30 – 14h00 – INTERVALO / ALMOÇO

14h00 – 16h00 – SESSÕES TEMÁTICAS

Temática 7 – Estudos locais e análises transversais sobre a história, a arquitetura e os contextos urbanos do patrimônio ferroviário

14h00 A escola e os trilhos: Contribuições do patrimônio ferroviário para o ensino de história

14h15 Entre planejamento e patrimônio: A estação ferroviária de Barrinha-SP e o processo de expansão da cidade

14h30 Ferrovia e as caixas de água: Um estudo de arqueologia industrial da Estrada de Ferro Sorocabana

14h45 Entre pontos e redes: A Ferrovia Mossoroense na articulação urbana do oeste potiguar – RN/BRASIL (1920-1951)

 

Debate 

Temática 7 – Estudos locais e análises transversais sobre a história, a arquitetura e os contextos urbanos do patrimônio ferroviário

14h00 Espacializando a memória: A contribuição dos espanhóis, entre fábricas e ferrovias, na formação de territórios sorocabanos

14h15 Las posibilidades de actualización del territorio ferroviario en Oncativo

14h30 O bonde na história urbana de Maceió/AL (1866-1931)

14h45 Patrimônio ferroviário em Catanduva/SP: Uma análise sobre o conjunto do “Armazém do Café”

 

Debate 

Temática 6 – Estudos multidisciplinares sobre patrimônio ferroviário

14h00 A história não perdeu o trem: O advento da ferrovia na historiografia ferroviária cearense

14h15 Entre Coroa, Igapó e Rocas: as dificuldades técnicas e fundiárias de inserção do parque ferroviário da EFCRGN no traçado urbano de Natal – Brasil (1908-1920)

14h30 Reflexões sobre o reconhecimento de valores do patrimônio ferroviário do sul de Minas Gerais

14h45 A criação de um acervo virtual nas cidades bocas do sertão como patrimônio da mobilidade. Por um “Conhecimento histórico Ambiental Integrado na Planificação Territorial e Urbana”

 

Debate 

16h00 – 16h30 – INTERVALO

17h00 – 18h00 – Mesa de encerramento

Balanço das atividades a partir dos relatos (temas e questões mais discutidos em mesas, conclusões e indicações de pesquisa).



Marcelo Andriotti
9 de setembro de 2020