Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Transformação social.  É o que pretende fazer o trabalho coordenado pelo docente do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas, Prof. Me. Pedro Miranda Costa.

 

O projeto de extensão da PUC-Campinas ambiciona a profissionalização das cooperativas de catadores assessoradas pelo Centro de Referência em Cooperativismo e Associativismo (CRCA)/RECICLAMP por meio da elaboração de um Plano de Negócios, com vistas a garantir a evolução do negócio e sua sustentabilidade.

 

Nas cooperativas assessoradas pelo CRCA/RECICLAMP, pessoas em situação de vulnerabilidade, afastadas do mercado de trabalho, encontram a reinserção social enquanto atuam na recuperação do meio ambiente, por meio de coleta, manuseio e venda de recicláveis.

 

Atualmente, estão associadas à RECICLAMP (além da própria) as cooperativas: Antônio da Costa Santos, DiviPaz, Projeto Reciclar, Recoopera, São Bernardo e Unidos pela Vitória.  Ao todo, são cerca de 150 pessoas trabalhando nas cooperativas.

 

Segundo dados do CRCA, as seis cooperativas associadas realizam juntas a separação e venda de 3,5 toneladas de material reciclável por ano, com predominância da “família” papel (65%), seguida dos plásticos (17%).

 

Em termos socioeconômicos, as receitas líquidas geradas – deduzidos os custos e encargos – proporcionaram uma renda média mensal em torno de R$ 710.

Apesar de representar um ganho para muitos dos cooperados, havia a percepção entre o CRCA/RECICLAMP e os cooperados que essa realidade poderia ser melhorada com o desenvolvimento de um Plano de Negócios.

 

Compartilhando desse diagnóstico, o Prof. Me. Pedro Miranda Costa propôs ações que estimulam o envolvimento dos cooperados e que possam fazê-los entender que o desempenho da cooperativa depende de suas atividades. “Os cooperados podem, com trabalhos coordenados e fomentados por projetos de extensão, realizar transformações em sua situação”, anima-se.

 

As atividades propostas acontecem por meio de oficinas temáticas que associam os elementos do Plano de Negócios as questões e situações experimentadas pelas cooperativas. É objetivo também a produção de uma cartilha, em linguagem adequada e significativa.

 

Os temas abordados tratam de aspectos como arranjo produtivo; produtividade; negociação comercial e canais de comercialização; imagem institucional; formação de preço. A integração entre esses aspectos podem ser mais desenvolvidas durante o processo de construção de um Plano de Negócios.

 

“Dessa maneira, espera-se oferecer ferramentas para tomada de decisão de forma mais racional e ampla, oferecendo-se também a possibilidade de as cooperativas realizarem, no futuro, e por si próprias, a disseminação de novas cooperativas ou de novos cooperados. Assim, melhoramos suas condições de trabalho, renda e empregabilidade”, avalia o Prof. Me. Pedro Miranda Costa.

 

“Esse caráter de ‘documento de apresentação’, voltado ao público externo, à organização, é especialmente útil na busca de parceiros comerciais e de fontes de financiamento para as cooperativas”, complementa o docente.

 

As cooperativas

 

O Centro de Referência em Cooperativismo e Associativismo – CRCA/RECICLAMP – tem como objetivo assessorar cooperativas populares solidárias relacionadas à coleta, separação e venda de material reciclável.

 

Existente há 14 anos e com propostas inclusivas, os projetos desenvolvidos pela incubadora traçam parcerias entre diferentes setores da sociedade, valorizando e estimulando cada cooperativa rumo à gestão autossustentável.

 

Tradição

 

A PUC-Campinas possui tradição no fomento a empreendimentos econômicos solidários, destacando-se a participação, em 1992, na fundação da UNITRABALHO e na estruturação, entre 2002 e 2008, do Programa PUC-Campinas Solidária, que desenvolveu atividades de apoio técnico-operacional para organização e estruturação das cooperativas populares sob a gestão da Cáritas Arquidiocesana de Campinas.

 

Além disso, a Universidade mantém programas institucionais de extensão, nos quais os empreendimentos de economia solidária têm sido contemplados.



Portal Puc-Campinas
24 de março de 2015