Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2022

Projeto colaborativo Vozes Femininas abre espaço para adolescentes

Atividades em escolas pública e particular têm como objetivo incentivar o protagonismo juvenil

As professoras Cecília Helena Toledo Vieira e Tatiana Slonczewski, da Faculdade de Jornalismo e Psicologia da PUC-Campinas, respectivamente, estão desenvolvendo desde agosto passado o projeto colaborativo Vozes Femininas, que tem como principal objetivo incentivar o protagonismo juvenil de adolescentes, visando valorizar, compartilhar e dar visibilidade aos conhecimentos, vivências e saberes dos jovens nas redes sociais.

Espera-se também que as ações promovidas pelo projeto estimulem a autonomia das jovens para que elas tenham uma participação mais engajada nas suas comunidades, por meio de suas publicações nas redes sociais.

Para atingir estes objetivos, o projeto agendou oficinas e rodas de conversa de agosto a novembro sobre temas de interesse das adolescentes, visando estimulá-las a produzirem podcasts e pequenos vídeos para serem veiculados nas redes sociais e portal da Universidade.

Considerado um dos períodos mais sensíveis e críticos da vida de uma mulher, a adolescência é marcada por significativas mudanças físico-emocionais. Enquanto algumas jovens têm a liberdade de conversar com seus pais, família e amigas sobre as nuances da adolescência, outras não se sentem encorajadas e estimuladas a dialogar. Muitas vezes, até são impedidas de falar.

Além da dificuldade de expressar seus pensamentos, os jovens- e particularmente as mulheres – vivem hoje sobrecarregados pela infodemia, que é o fluxo excessivo de informações sobre um tema oriundo de fontes não confiáveis, sobretudo nas redes sociais. São as conhecidas fake news, que se expandem pelas redes sociais trazendo efeitos nefastos para a saúde física e emocional dos adolescentes. Para as jovens, os danos podem ser ainda maiores em função da sociedade ainda machista em que vivemos.

Sem poder manifestar suas opiniões, desejos e incertezas, elas podem se apoiar nas fake news ou em manifestações de colegas, influenciadores e blogueiros, disseminando-as por suas redes sociais.

Por isso, o projeto Vozes Femininas tem como meta estimular a reflexão e a manifestação de sentimentos e opiniões entre as jovens por meio de rodas de conversa, que possibilitam o compartilhamento de vivências e experiências, como também oferecem continência, carinho e conforto aos seus participantes. As rodas de conversa estimulam a comunicação interpessoal, fundamental para o diálogo, a troca de conhecimentos e a aproximação das pessoas.

Por meio das palestras e oficinas espera-se que as adolescentes possam expressar suas vivências, conhecimentos, habilidades e competências e também fomentar a reflexão sobre a produção e o compartilhamento de seus saberes nas redes sociais.

Públicos

Direcionado para alunas do Ensino Médio (15 a 17 anos) de duas escolas de Campinas – Instituto Educacional Crescer (da rede particular de ensino) e Escola Estadual “Professor Newton Pimenta Neves” (rede estadual), o projeto conta com a participação de 36 alunos voluntários, de diferentes áreas do conhecimento.

Até o momento, estão envolvidos no projeto seis alunas do Instituto Crescer. A profa. Tatiana está acertando com as alunas do colégio “Professor Newton Pimenta Neves” a participação no projeto. Ainda que o projeto tenha como público-alvo as adolescentes,  também estão participando alguns alunos do Ensino Médio do Crescer, que tiveram interesse após conhecerem a proposta.

As oficinas e rodas de conversa realizadas de agosto a outubro de 2021 serão coordenadas pelas docentes extensionistas, com a participação do grupo de alunos voluntários dos respectivos projetos. O evento será virtual e transmitido pela plataforma Teams, nas sextas-feiras, das 14 às 16 horas.

Produtos

A fim de facilitar a produção dos produtos de comunicação pelas adolescentes, o projeto organizou oficinas sobre podcasts e vídeos, com a colaboração dos alunos voluntários. Este grupo também estará à disposição das jovens para ajudá-las na edição do material.

Até outubro serão realizadas três oficinas e três rodas de conversa, conforme o cronograma abaixo. Cada evento deverá estimular as adolescentes a produzirem vídeos e podcasts. Aos voluntários caberá a produção de três making of (um para cada oficina).

Agenda

Foram planejadas ações no projeto, sempre às sextas-feiras, das 14 às 16 horas, pelo Teams. Em agosto, no dia 06, foi feita uma reunião os universitários voluntários dos respectivos projetos para as docentes extensionistas apresentarem a proposta do projeto colaborativo.

A primeira oficina de produção de podcasts e vídeos com os alunos voluntários foi realizada no dia 13 de agosto. No dia 27 foi a vez do projeto reunir as adolescentes do colégio Crescer e os alunos extensionistas para a segunda oficina para discutir sobre os produtos de comunicação.

Dia 03 de setembro, o projeto apresentou a roda de conversa com a montanhista, ativista ambiental e empreendedora social Aretha Duarte, a primeira mulher negra latino-americana a chegar ao cume do Everest. A discussão motivou os participantes e principalmente as adolescentes do colégio Crescer a produzirem seus podcasts e vídeos, que deverá ser apresentado ao grupo no dia 10 deste mês.

No dia 08 de outubro será realizada uma roda de conversa e oficina com a temática “A pele que habito”, cujo objetivo é analisar o significado da pele como um meio de comunicação e relacionamento social dos jovens. Também pretende-se discutir neste encontro as violências feitas na pele pelos jovens. Ainda não está definido o nome da palestrante.

A última roda de conversa do projeto acontecerá no dia 29 de outubro e tem como proposta analisar a questão da violência contra as mulheres e a importância da saúde mental. A convidada será a psicóloga Tamiris Cantares e a temática para este evento é “Só me toque quando eu pedir”.

Durante as oficinas e rodas de conversa será feito o making off dos eventos pelos voluntários, que também deverão produzir vídeos com os palestrantes das rodas de conversa e oficinas.

Ex-alunos

Outro projeto que está sendo coordenado pela profa. Cecília Toledo é o Relatos, uma série de dez vídeos curtos, de 1’30’’, com ex-alunos extensionistas. O projeto teve início em agosto passado e a meta é produzir dois vídeos por mês. Até o momento, foram feitos dois vídeos, editados por alunos voluntários do projeto da docente. Os vídeos serão veiculados no portal da Universidade e suas redes sociais. O objetivo é dar visibilidade aos projetos de Extensão na formação do estudante da PUC-Campinas.

Cecília Helena Toledo Vieira é professora extensionista da Faculdade de Jornalismo e coordena o projeto “Vozes Juvenis: compartilhando conhecimentos e vivências por meio da comunicação digital”.

Tatiana Slonczewski é professora extensionista da Faculdade de Psicologia e coordena o “Projeto Girassóis: apoiando comunidades na construção de relações humanas saudáveis e na prevenção de violência/comportamento suicida”.



Marcelo Andriotti
8 de setembro de 2021