Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

O terceiro Boletim Econômico da PUC-Campinas, com os dados parciais sobre Comércio Exterior confirma a expansão do déficit comercial na Região Metropolitana de Campinas (RMC) no ano de 2007. De acordo com a pesquisa realizada pelo professor do Centro de Economia e Administração da Universidade Adauto Roberto Ribeiro, nos primeiros oito meses do ano, a RMC exportou 3,8 bilhões de dólares em produtos e importou 5,2 bilhões de dólares, apresentando um déficit de mais de 1,4 bilhão de dólares. Neste mesmo período, no ano passado, o déficit era de cerca de 900 milhões de dólares. Esses dados constam da pesquisa sobre Comércio Exterior da RMC realizada pelo Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas e que integra o Boletim Econômico da PUC-Campinas. A íntegra da pesquisa realizada pelo professor pode ser consultada no Portal PUC-Campinas – www.puc-campinas.edu.br/impensa, no link no Boletim Econômico.

A pesquisa ainda indica que o déficit comercial da RMC cresceu 62,2% neste período. No boletim anterior (janeiro a junho) o déficit apresentou crescimento de cerca de 38%. A exportação da RMC cresceu 5,5% enquanto a importação aumentou 16,9% em relação aos oito primeiros meses de 2006. Segundo o pesquisador, Jaguariúna é o maior exportador e importador da RMC, seguido pelo município de Campinas. O crescimento da importação na RMC está concentrado em bens intermediários (insumos e componentes), que cresceu cerca de 30% e bens de consumo, que cresceu 27%. Os países da Aladi (Associação Latino-Americana de Integração, composta pela Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela mais México e Cuba) continuam sendo os principais destinos das exportações do Brasil, com cerca de 59%.

Já aproximadamente 51% das importações da RMC, provêm de países da Ásia. Especificamente, o município de Campinas aumentou seu déficit com o exterior de 5 para cerca de 141 milhões de dólares. No período analisado, a exportação do município diminuiu 6,5% e a importação cresceu 7,7%. O grande destaque na importação do município são os bens de consumo com crescimento de 43%. Em especial chama a atenção o segmento de bens de consumo “duráveis” cuja importação cresceu 257%.

A pesquisa de comércio exterior, realizada sob a orientação do professor Adauto Roberto Ribeiro, tem como objetivo caracterizar e acompanhar de maneira sistemática a evolução e as transformações no fluxo de comércio exterior da (RMC) e do município de Campinas, utilizando os dados coletados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil (MDIC).



Portal Puc-Campinas
4 de outubro de 2007