Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Mortes por covid-19 são registradas nos 42 municípios do Departamento Regional de Saúde de Campinas na 41ª Semana Epidemiológica 

Além do aumento no número de óbitos, período é marcado por acréscimo de novos casos; ocupação de leitos de UTI volta a subir

O Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS-Campinas), que avançou à fase verde do Plano São Paulo após semanas consecutivas de decréscimos nas estatísticas relativas à covid-19, voltou a apresentar maus resultados na 41ª Semana Epidemiológica, correspondente ao período de 4 a 10 de outubro. Foram 2.938 novos casos, aumento de 15% em relação à semana anterior, e 164 óbitos (+110%). Os 42 municípios do DRS-Campinas tiveram registros de mortes.

Os dados, somados ao aumento da ocupação de leitos intensivos – em Campinas, no momento, a taxa é de 70% nos hospitais públicos, e de 60% nos privados –, exigem da população um estado de alerta, afirma o infectologista André Giglio Bueno. “Esse acréscimo, sobretudo na ocorrência expressiva de óbitos em cidades da região, como Indaiatuba, Americana, Santa Bárbara D’Oeste, Engenheiro Coelho e Sumaré, acontece em meio à diminuição na oferta de leitos de UTI. Diante de uma pressão maior no sistema de saúde, é necessário que o momento seja acompanhado de perto pelas autoridades”, destaca o professor de Medicina da PUC-Campinas.

O médico lembra, porém, que a principal medida continua sendo a consciência da população. O avanço do DRS-Campinas para a fase verde, ampliando a flexibilização para o funcionamento de estabelecimentos comerciais, tem gerado aglomerações em espaços públicos e privados. “Cabe às pessoas se esforçarem para aumentar o rigor com os procedimentos de proteção, sobretudo o distanciamento físico, uso de máscara e higienização frequente das mãos. Se houver descuido ou negligência, certamente os casos voltarão a aumentar”, complementa Giglio.

Considerando apenas a Região Metropolitana de Campinas (RMC), também houve crescimento nos índices ligados ao coronavírus: somando os 20 municípios que compõem o bloco, foram 2,1 mil novos casos, aumento de 16,8% comparando-se à 40ª Semana Epidemiológica, e 147 óbitos, elevando os dados em 126%. A cidade de Campinas exibiu, no período, 677 infecções (+29,01%) e 22 mortes. Os números atualizados podem ser obtidos no Painel Interativo do Observatório PUC-Campinas: https://observatorio.puc-campinas.edu.br/covid-19/.

Do ponto de vista econômico, embora o avanço à fase verde tenha permitido o aumento de 40% para 60% no limite de ocupações em bares, restaurantes e academias, a pandemia permanece afetando a atividade econômica e as oportunidades de geração de renda. Segundo o economista Paulo Oliveira, que coordena as análises relativas à covid-19 pelo Observatório, os números dos setores da Indústria, do Comércio e de Serviços seguem em baixa em relação ao ano passado, reforçando os impactos do coronavírus sobre a economia.

“A retomada vai depender da capacidade de consumo das famílias, da política de gastos públicos e da recuperação da economia global”, avalia Oliveira, lembrando também da importância da manutenção e da eficácia dos protocolos para a contenção da crise sanitária, o que exige esforço da população no cumprimento das orientações.

Observatório PUC-Campinas

O Observatório PUC-Campinas, lançado no dia 12 de junho de 2018, nasceu com o propósito de atender às três atividades-fim da Universidade: a pesquisa, por meio da coleta e sistematização de dados socioeconômicos da Região Metropolitana de Campinas; o ensino, impactado pelos resultados obtidos, que são transformados em conteúdo disciplinar; e a extensão, que divide o conhecimento com a comunidade.

A plataforma, de modo simplificado, se destina à divulgação de estudos temáticos regionais e promove a discussão sobre o desenvolvimento econômico e social da RMC.  As informações, que englobam indicadores sobre renda, trabalho, emprego, setores econômicos, educação, sustentabilidade e saúde, são de interesse da comunidade acadêmica, de gestores públicos e de todos os cidadãos.



Vinícius Purgato
14 de outubro de 2020