Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

A PUC-Campinas realiza, de 21 (segunda-feira próxima) a 25 de agosto, a Semana de Letras, com palestras no Prédio Central e nas salas da própria Faculdade de Letras, ambos localizados no Centro de Campinas. Sob o tema central “Língua e Literatura: múltiplos olhares”, um dos principais assuntos para debate será a influência do uso da internet sobre o ensino de língua inglesa.

Houve época em que o inglês era idioma restrito a pessoas que tinham feito cursos superiores de Letras, cursos em escolas de idiomas ou residido em países de língua inglesa. Embora reminiscências da língua estivessem presentes entre nós nos jargões e gírias introduzidos pela cultura popular norte-americana e em nomes de estabelecimentos comerciais, eram poucos os que conheciam fluentemente o idioma.

Com o fim da reserva de mercado para a informática no Brasil, a partir dos anos 80, a população brasileira revelou que não é só apaixonada por carros, como dizem anúncios publicitários da indústria automobilística, mas também por computadores. Em pouco tempo o País recebeu uma avalanche de equipamentos e softwares, a maioria operada em inglês.

A popularização da internet revelou que os brasileiros também adoram navegação virtual – hoje temos um dos maiores contingentes de internautas. Os programas de conversação e trocas de informações pela web colocaram os brasileiros em contato virtual com pessoas de todo o mundo e, por conseqüência, com a língua mais utilizada nos bate-papos ou troca de mensagens on-line entre diferentes povos: o inglês.

Até que ponto a informatização e o advento da Internet alterou o panorama cultural do Brasil, cuja população bilíngüe era pequena, abaixo mesmo de alguns países africanos bem mais pobres que o nosso? Segundo o professor Carlos de Aquino Pereira, diretor da Faculdade de Letras da PUC-Campinas, o impacto foi realmente significativo, despertando grande interesse pelo ensino de idiomas, em especial o inglês, principalmente a partir da década de 90.

“Tudo que colabora com a comunicação entre pessoas de diferentes culturas, favorece o aprendizado de novas línguas. E, sem dúvida, a internet é, hoje, o principal veículo para trânsito cultural em todo o mundo”, diz Aquino. “Evidente que não foi o único fator que impulsionou o interesse por aprender novos idiomas. A globalização do trabalho também tem colaborado firmemente para esta tendência, já que um dos quesitos mais exigidos hoje é o conhecimento de inglês ou de uma outra segunda língua”, acrescenta.

Embora a Semana de Letras seja principalmente destinada aos alunos do curso, é aberta ao público em geral. De acordo com a coordenadora do evento, professora Astrid Karin Sgarbieri, especialista em ensino de língua inglesa, as mudanças trazidas pela internet para o ensino de idiomas têm sido tão significativas que os professores de Letras da PUC-Campinas já vêm debatendo a possibilidade de adotar mudanças pedagógicas que contemplem a colaboração das novas tecnologias.

Uma das opções é ensinar inglês a distância, por intermédio das ferramentas da web. “A internet de fato está colaborando para reduzir a defasagem histórica de domínio de idiomas no Brasil, em comparação com outros países”, diz ela.

Programação da Semana de Letras
21/08 (manhã e tarde)
A professora Maria Augusto de Mattos (Unicamp) fará a palestra de abertura, no Auditório Nobrão, no Campus Central, sobre o tema “O estado da arte do ensino de Língua Portuguesa”

22/08 (manhã e tarde)
A professora Denize Braga Bertoli (Unicamp) falará sobre o tema “Uso da Internet para ensino de língua inglesa com ênfase na leitura”

23/08 (manhã e tarde)
A professora Terezinha Jesus Machado Maher (Unicamp) falará sobre o tema “Bilingüismo e Interculturalidade”
Nos mesmos horários, o professor Antonio Suares Abreu (Unesp) falará sobre o tema “Argumentação”

24/08 (manhã e tarde)
A professora Norma Goldstein (USP) falará sobre o tema “Poesia e ensino de língua materna”

25/08 (manhã e tarde)
A profe



Portal Puc-Campinas
16 de agosto de 2006