Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno
Facebook
121496
Facebook
Twitter
7121
Twitter
Linkedin
8425
Linkedin

Conceito

Intercâmbio é a troca de experiências, de aprendizado e de cultura. O processo envolve relações culturais entre povos de diferentes regiões ou países. Pode ser definido como a disposição de ir ao encontro do outro, em seu local de origem, levando o que se é, o que se sabe, as expectativas e os conhecimentos que detém, com o espírito de dar e receber. A partir disso se estabelecem trocas de vivência e de informações e, junto ao outro, a pessoa amadurece e compreende as diversidades e as diferenças.
É uma ação concreta de estudos, de busca de informações, de construção do conhecimento formal. Ao final do processo, o indivíduo volta acrescido de novas relações e valores, e pode colaborar para o bem-estar das pessoas de todo o mundo ao aplicar seus novos conhecimentos e maneiras de ver e ser a vida cotidiana. Influencia, assim, a família, os amigos e os ambientes educacional e profissional, o que resulta na construção de uma sociedade mais tolerante e fraterna.

Trata-se de mais uma oportunidade de aprendizado, de estabelecimento de contato com novas culturas, de apropriação de novas informações ou novos formatos de entendimento do mundo, das pessoas e das coisas. Na sociedade moderna, que valoriza a capacidade de comunicação em diferentes línguas e códigos sociais e o estabelecimento de relações que envolvam diferentes modos de vida e valores, preza-se pessoas capazes de respeitar o mundo e as pessoas, e com elas aprender.
O intercâmbio é, hoje, uma estratégia de formação pessoal e profissional de amplo espectro, desejável para se obter sucesso em uma sociedade complexa, “sem fronteiras”, que exige do cidadão comportamento local/global, ou seja, que compreenda a parte e o todo. Em algumas áreas de formação, a experiência tem sido considerada como uma necessidade para melhor se posicionar no mercado de trabalho, havendo até mesmo a necessidade da internacionalização para o exercício profissional.

• Complementação da formação humana, focada na troca de experiências e de conhecimentos;
• Estabelecimento de uma ampla e compreensiva visão de mundo;
• Agregação ou aperfeiçoamento concreto de novos conhecimentos, técnicas e habilidades;
• Oportunidade de amadurecimento, proatividade e auto-dinamismo;
• Perfil diferenciado na busca de uma oportunidade de trabalho no mercado, na consolidação de uma posição ou mesmo no incremento da carreira;
• Fluência em um ou mais idiomas;
• Valorização do currículo sócio-profissional;
• Realização de um sonho.

Sim, há riscos. Trata-se de uma nova experiência de vida, em local distinto do seu. É sempre um novo começar, estabelecer novas relações, fazer novas amizades, conhecer novos locais, experimentar novas comidas e adaptar-se.

Estar longe da família é sempre um motivo de apreensão para todos os envolvidos. É preciso controlar o pessimismo, enxergar tudo como mais uma oportunidade de aprendizado e de construção de conhecimentos sobre si e sobre os outros. Cuidar-se, portanto, é fundamental, pois muitos riscos podem ser evitados com planejamento e prevenção, que auxiliam o aluno a treinar o auto-discernimento, a tomada de atitudes e decisões, a assunção de riscos e a ser responsável sobre si e sobre suas ações, resultando no amadurecimento. Para isso é preciso que a família estabeleça seus limites de intervenção, concedendo ao aluno liberdade para agir, apoiado por valores e regras estabelecidos.
A experiência é carregada de sentimentos contraditórios. Por isso, a comunidade local e outros estrangeiros são sempre receptivos, muito embora no início possam ser, de certa forma, reservados. A sugestão é apoiar-se na estrutura da própria escola, nas pessoas e, também, nas atividades proporcionadas.
É imprescindível estar atento ao que está acontecendo ao seu redor, também no quesito segurança. Recomenda-se cautela, sair sempre com o grupo de colegas/amigos para locais seguros e movimentados, e desconfiar de propostas de estranhos.
Buscar informações e participar das atividades é o caminho certo para uma boa adaptação e aproveitamento. Por mais diversa que seja a cultura, deve-se respeitá-la, assim como os hábitos cotidianos locais. A obediência às leis e às normas de conduta são essenciais para ser respeitado e aceito em uma comunidade. Atenção extra deve ser dispensada ao excesso de informalidade, de liberdade e, mesmo, à improvisação (o famoso jeitinho).

Programa de Intercâmbio Acadêmico

O Programa de Intercâmbio é realizado a partir de Acordos de Cooperação entre a PUC-Campinas e universidades no exterior. A oportunidade oferece aos estudantes a possibilidade de estudar em uma instituição estrangeira pelo período de 6 meses a um ano.

O aluno interessado em participar do Programa deverá informar-se sobre as oportunidades e os editais abertos para o seu curso no site, e em seguida inscrever-se no Departamento de Relações Externas.

Para participar do Programa de Intercâmbio Acadêmico, o estudante precisa atender a alguns requisitos prévios: estar regularmente matriculado, ter cursado, no mínimo, um (01) ano acadêmico (02 períodos) na PUC-Campinas e ter média aritmética geral igual ou superior a 7,0 (sete) no histórico escolar. Outros pré-requisitos podem ser definidos em edital.

O processo seletivo é aberto uma vez ao ano, entre os meses de dezembro e fevereiro, para intercâmbio no segundo semestre. É composto por duas fases: a primeira realizada pela PUC-Campinas, e a segunda, pela instituição parceira.

Apesar de o Programa de Intercâmbio Acadêmico abrir inscrições oficialmente uma vez ao ano, os estudantes devem ficar atentos às oportunidades de bolsas de estudos e vagas remanescentes, que podem ter processos abertos em outras épocas do ano.

IES Parceiras da PUC-Campinas

Universidades Estrangeiras

 As Instituições parceiras são Universidades que mantêm Acordo de Cooperação com a PUC-Campinas, visando o Intercâmbio Acadêmico.

Verifique, abaixo, as Universidades nacionais e internacionais com as quais a PUC-Campinas possui parceria:

Argentina
Universidad Del Salvador
Universidad Tecnologica Nacional
Universidad Nacional de Mar del Plata

 

Australia
University of Wollongong
Monash University

 

Bélgica
Universiteit Hasselt

 

Brasil
Universidade Católica de Santos
Universidade Católica de Pernambuco

 

Cabo Verde

Universidade Jean Piaget

 

Canadá
Mount Royal University
University of Victoria
Université du Quebéc à Chicoutimi

 

Chile
Universidad Mayor
Universidad de Valparaíso
Universidad Católica Cardenal Raúl Silva Henriquez
Universidad Católica de Temuco
Universidad Técnica Federico Santa María

 

Colômbia
Corporación Universitaria Minuto de Dios
Universidad de San Buenaventura
Pontifícia Universidad Javeriana
Fundación Universitaria Juan de Castellanos
Universidad Santo Tomás
Fundación Universitária Luis Amigó
Universidad del Rosario
Fundación Universitária Konrad Lorenz
Universidad Antonio Nariño

 

Coréia do Sul
Woosong University
Hanyang University

 

Espanha
Universidad Católica San Antonio de Murcia
Universidad de Sevilla
Universidad Miguel Hernández de Elche
Universidad de Jaén
Universidad de Salamanca
Universidad Pontifícia de Comillas

 

França
Ecole Superiéure D´art de Grenoble
Conservatoire National des Arts et Metiers
Institut Catholique de Toulouse
Université Jean Moulin Lyon 3
Institut Catholique d’Études Supérieures
École Nationale Superiéure d´Architecture de Grenoble

 

Holanda
Saxion University

 

Irlanda
Athlone Institute of Technology

 

Itália
Universitá degli studi di Tor Vergata
Universitá di Pisa
Politecnico di Milano
Universitá degli studi di Cagliari

 

México
Universidad de Monterrey
Universidad Marista de Mérida
Universidad Anáhuac (México Norte)

 

Moçambique
Universidade Católica de Moçambique

 

Nicarágua
Universidad Católica Redemptoris Mater

 

Peru
Universidad de Piura
Universidad Católica de Santo Toribio Mogrovejo
Pontifícia Universidad Católica del Perú

 

Polônia
Bialystok University of Technology

 

Portugal
Instituto Politécnico de Portalegre
Universidade de Évora
Universidade Nova de Lisboa
Universidade de Algarve
Universidade de Coimbra
Universidade Técnica de Lisboa
Universidade de Aveiro
Universidade de Lisboa
Universidade Católica Portuguesa
Universidade do Minho
Instituto Superior de Entre Douro e Vouga
Instituto Politécnico de Tomar
Universidade da Beira Interior
Instituto Politécnico de Bragança
Instituto Politécnico de Santarém
Instituto de Administração Design e Empresa-Universitária
Instituto Politécnico de Administração e Marketing
Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Universidade do Porto
Universidade Autônoma de Lisboa

 

República Dominicana
Pontifícia Universidad Católica Madre y Maestra

 

Uruguai
Universidad de la República

Perguntas Frequentes

Escolha abaixo a categoria desejada:

Quando ocorrem as inscrições para os programas de intercâmbio acadêmico da PUC-Campinas?

As inscrições ocorrem no início de cada semestre para viajar no semestre seguinte. As vagas remanescentes poderão ser objeto de novo edital no semestre subsequente, para intercâmbio no início do ano seguinte. O período de inscrições varia de acordo com as datas das Universidades parceiras.

Quais são os pré-requisitos para me candidato ao programa de intercâmbio acadêmico na PUC-Campinas?

  • Estar regularmente matriculado;
  • Ter cursado, no mínimo, um (01) ano acadêmico (02 períodos) na PUC-Campinas (critério variável de acordo com o curso);
  • Ter média aritmética geral igual ou superior a 7,0 (sete) no Histórico Escolar;
  • Não apresentar em seu Histórico Escolar mais de 03 (três) reprovações;
  • Estar com sua situação financeira regularizada na Universidade;
  • Solicitar a sua participação no Programa de Intercâmbio nos prazos estabelecidos pelo Departamento de Relações Externas (DRE);
  • Possuir 18 anos de idade completos até a data de saída do país.

Como é o processo de seleção da PUC-Campinas?

O processo para os programas de intercâmbio é divido em 2 (duas) fases:

1ª FASE: Inscrição na PUC-Campinas

O aluno deve providenciar toda a documentação necessária listada nos editais. A partir deles, o DRE e a Diretoria da Faculdade de origem do estudante selecionam os candidatos com base no Histórico Escolar, Curriculum Lattes, atividades acadêmicas realizadas e possível entrevista. Depois de selecionado pela PUC-Campinas, o estudante deve participar de um segundo processo seletivo, na Universidade parceira.

2ª FASE: Inscrição na Instituição Parceira

O aluno deve providenciar toda a documentação necessária listada nos editais, que será enviada para análise da Universidade estrangeira, que decidirá pelo aceite ou não do candidato. O estudante só deverá iniciar os preparativos de viagem após o recebimento da Carta de Aceite.

OBS.: O prazo para o envio das cartas de aceite é de responsabilidade total da universidade parceira.

Como escolho as disciplinas? Poderá haver aproveitamento na Puc-Campinas das disciplinas cursadas no exterior?

A escolha das disciplinas fica a critério do aluno, que deve escolhê-las sob a orientação do Diretor da Faculdade. O Diretor da Faculdade é responsável por avaliar a possibilidade de aproveitamento das disciplinas cursadas no exterior. É recomendado que o aluno escolha disciplinas do seu próprio curso.

Após o retorno, e da chegada do histórico escolar oficial o aluno poderá solicitar seu aproveitamento de estudos das disciplinas nas quais foi aprovado.

Para aproveitar as disciplinas cursadas no exterior, o aluno deve apresentar no Departamento de Relações Externas os seguintes documentos:

– Histórico Escolar Oficial + uma cópia simples
– Tradução juramentada do histórico escolar + uma cópia simples
– Critério de avaliação da IES Parceira (ex: 0 a 10)
– Nota mínima para aprovação (ex: média 5)
– Carga horária das disciplinas (Ex: 1 crédito = 20 horas/aula)
– Ementas completas das disciplinas (conteúdo programático, plano de ensino)

OBS: As ementas precisam ser traduzidas para o português caso não apresentem-se nos idiomas: inglês, espanhol ou português.

O pedido de aproveitamento demora cerca de 2 meses para ser finalizado e o aluno pode conferir se as disciplinas foram aproveitadas pedindo uma cópia do histórico escolar no CAA ou consultando o histórico analítico em sua área logada no site da PUC-Campinas.

Como ficará a minha matrícula durante o período que eu estiver em intercâmbio?

O aluno, durante o período que estiver em intercâmbio, ficará matriculado no status de “Matriculado em Intercâmbio” (MI).  A alteração de status é feita no sistema interno da PUC-Campinas, não disponível aos alunos. Vale lembrar que em hipótese alguma o aluno deverá trancar sua matrícula estando em intercâmbio, pois isso acarretará o cancelamento do mesmo.  Após o retorno, deverá efetuar a pré-matrícula na PUC-Campinas para o semestre subsequente.

E o pagamento das mensalidades?

Durante o período de intercâmbio, as mensalidades ficarão suspensas.

Qual é o custo de vida no exterior?

O custo de vida varia bastante por aluno. Em média, fica entre € 700,00 e € 1300,00 por mês na Europa (incluindo moradia, transporte local e alimentação). Deve-se considerar o dobro do valor para o primeiro mês.

Estes dados são baseados em depoimentos de alunos de 2016.

A PUC oferece bolsas de estudo no exterior?

Não. Tais convênios já foram criados de forma a beneficiar os alunos intercambistas. Propiciam a aceitação facilitada na Universidade parceira, bem como a isenção de diversas taxas internacionais. Todas as Bolsas divulgadas ao longo do ano pelo DRE são oferecidas à PUC-Campinas por Órgãos de Fomento externos e obedecem a regras específicas, estabelecidas em edital.

A universidade de minha escolha não é conveniada à Puc-Campinas. O que pode ser feito?

Para realizar intercâmbio em uma Instituição estrangeira não conveniada, primeiramente você deve entrar em contato com a Universidade de seu interesse e consultar o Departamento responsável quanto aos procedimentos para admissão de alunos intercambistas ou transferência internacional. Esse processo não será intermediado pelo DRE, porém estamos à disposição para ajudá-lo. Ressaltamos que, se a Universidade escolhida não possuir um acordo assinado com a PUC-Campinas, não há a possibilidade de aproveitamento de créditos de disciplinas cursadas no exterior. Vale lembrar que pelo tempo que o aluno permanecer em intercâmbio sua matrícula com a PUC-Campinas deverá ser trancada dentro dos prazos previstos no calendário acadêmico.

Qual a diferença entre o intercâmbio e a transferência internacional?

São dois modos diferentes de estudar no exterior. Intercâmbio refere-se ao aluno que deseja estudar por 1 (um) ou 2 (dois) semestres em uma Universidade estrangeira, devendo retornar, em seguida, à Universidade de origem para a retomada de seus estudos. Já a transferência internacional é o processo no qual o estudante decide tornar-se aluno da Universidade estrangeira escolhida, para finalizar seus estudos no exterior. Apenas a primeira opção é prevista para o Programa de Intercâmbio Acadêmico da PUC-Campinas.

Onde poderei me hospedar?

Há diversas possibilidades de hospedagem, pois existe um fluxo grande de estrangeiros em mobilidade nas Universidades com as quais a PUC-Campinas mantém Convênio. As opções oferecidas variam de acordo com a Instituição de destino, podendo variar de hospedagem no campus (em grande parte das instituições) até casa de família, república, albergue ou apartamento. A hospedagem, em alguns casos, é intermediada pela própria Instituição de destino.

Posso desistir de fazer o intercâmbio?

Sim. O aluno pode a qualquer momento realizar a desistência de seu intercâmbio, para isso é necessário enviar um e-mail ao DRE comunicando sua decisão. Vale lembrar que após a divulgação do resultado da seleção da PUC-Campinas o aluno que optar pela desistência deve ficar atento aos prazos para desistência sem aplicação de multa previstos em edital.

Quais os procedimentos para a emissão do visto de estudante?

O estudante aprovado no processo seletivo da PUC-Campinas deve aguardar o recebimento da Carta de Aceite, expedida pela Universidade estrangeira, para iniciar o processo de obtenção de Visto. Explicitamos que todos os procedimentos que concernem a emissão do documento devem ser consultados diretamente no Consulado do país desejado. Os trâmites de sua aquisição são de inteira responsabilidade do estudante, e sua expedição é de competência exclusiva do Consulado, não cabendo à PUC-Campinas qualquer interferência na outorga ou nos prazos estipulados para sua expedição.

É possível trabalhar enquanto faço intercâmbio?

Não. O portador de Visto de estudante não é autorizado o desempenhar trabalho no exterior.

Como faço para estender meu intercâmbio?

Para estender seu período de intercâmbio por mais 6 (seis) meses, o aluno deve realizar esta solicitação por e-mail ao DRE, que verificará a disponibilidade de vagas. Em caso afirmativo, o aluno deverá entrar em contato com o departamento de relações internacionais da universidade parceira confirmando o interesse em prorrogar seu período de estudos no exterior e verificar a documentação necessária e prazos para realizar sua prorrogação.

Posso me inscrever em mais de um edital?

Sim, é possível se inscrever em mais de um edital, mas o aluno não pode exceder o numero máximo de universidades previsto no edital, que são 4 (quatro).

Se já participei de um intercâmbio posso participar novamente?

O aluno pode participar de outro intercâmbio desde que atenda a todos os requisitos previstos em edital, e que não sejam dois intercâmbios com convênios de bolsa com o Santander.

Tenho mais dúvidas, o que faço?

Você pode entrar em contato com o DRE, presencialmente, por telefone e/ou e-mail.

O DRE está localizado no prédio da Reitoria no Campus I, realizando atendimento ao público de segunda a sexta-feira das 8h às 17h.

O e-mail para contato: dre.atendimento@puc-campinas.edu.br

Telefone/Phone: 55 19 3343-7261