Observatório PUC-Campinas
Observatório
PUC-Campinas
Facebook
Central de
Atendimento
ao Aluno
dom airton coletiva

Dom Airton José dos Santos é transferido para Mariana (MG)

O Santo Padre, o Papa Francisco, aceitando a renúncia de Dom Geraldo Lyrio Rocha, nomeou na manhã de hoje, dia 25 de abril de 2018, Dom Airton José dos Santos como novo Arcebispo de Mariana, MG, transferindo-o da Arquidiocese de Campinas.

A Igreja Particular de Campinas, a partir de hoje, está vacante até que o Papa Francisco nomeie o novo Arcebispo, para o qual não tem um tempo determinado. Para este período, Dom Airton continua como Administrador Apostólico de Campinas até tomar posse em Mariana. Depois, até a nomeação do novo Arcebispo de Campinas, o Colégio de Consultores elegerá o Administrador Diocesano.

Tivemos a graça de conviver com Dom Airton como nosso Pastor por seis anos, compartilhando de sua amizade e carinho e somos testemunhas de sua dedicação e seriedade à frente da Arquidiocese. Agora, unidos em oração, rogamos a Deus que o abençoe nessa nova missão confiada pela Santa Igreja, para que continue a ser, com seu testemunho de vida, o Apóstolo que governa, santifica e ensina, agora sob a proteção de Nossa Senhora da Assunção, Padroeira de Mariana.

Carta do Núncio Apostólico a Dom Airton

No início do mês corrente,  o Núncio Apostólico no Brasil, Dom  Giovanni d´Aniello, enviou missiva ao Arcebispo, sob a chancela de segredo pontifício até a presente data de nomeação, em que informava sobre sua designação- agora como Arcebispo da Arquidiocese de Mariana (MG), tendo sido aprovado o pedido de renúncia de seu predecessor, Dom Geraldo Lyrio Rocha, que se torna bispo emérito, e em que solicitava seu aceite.

Clique aqui para acessar o documento.

A nomeação no portal da Santa Sé pode ser acessada aqui.

Biografia de Dom Airton

Dom Airton José dos Santos nasceu na cidade de Bom Repouso, no Sul de Minas Gerais, no dia 25 de junho de 1956, primeiro dos sete filhos do casal José Julião dos Santos e Benedita Vieira da Fonseca. Em 1964, a família mudou-se para a Vila Vivaldi, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, onde permaneceram até 1967, quando se mudaram para a Vila Sacadura Cabral, na cidade de Santo André. Em 1979, aos 23 anos, o jovem Airton ingressou no Seminário da Diocese de Santo André.

Realizou o Curso de Filosofia no período de 1979 a 1981, nas Faculdades Associadas do Ipiranga (FAI), em São Paulo, obtendo o título de Bacharel em Filosofia com Licenciatura Plena. No ano seguinte, em 1982, ingressou no Curso de Teologia da Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, no Ipiranga, em São Paulo.

Foi ordenado Diácono no dia 31 de agosto de 1985 e Presbítero no dia 08 de dezembro do mesmo ano, por Dom Cláudio Hummes, então Bispo da Diocese de Santo André.

Iniciou o seu ministério sacerdotal em março de 1986, como Vigário Paroquial da Paróquia Imaculada Conceição, em Diadema, SP. Em 1987, foi nomeado também como Diretor e Formador na Casa de Formação dos Seminaristas da Filosofia do Seminário Diocesano de Santo André, cargo que ocupou até o final de 1997. Neste período, entre 1986 e 1997, exerceu outros serviços na Diocese como Vigário Regional da Região Pastoral de Diadema; Coordenador Diocesano da Pastoral Vocacional; Administrador Paroquial da Paróquia Imaculada Conceição, em Diadema; Coordenador Diocesano da Pastoral Familiar; membro do Conselho de Presbíteros; e membro do Colégio de Consultores.

No período de agosto de 1998 a junho de 2000 permaneceu em Roma, residindo no Pontifício Colégio Pio Brasileiro, onde obteve o Título de Mestre em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

De volta a Santo André, foi nomeado por Dom Décio Pereira, Bispo Diocesano, em outubro de 2000, como Chanceler do Bispado e, em setembro do mesmo ano, como Ecônomo da Diocese. No dia 18 de março de 2001, foi nomeado Pároco da Catedral Diocesana de Santo André, sucedendo a Dom Manuel Parrado Carral, então nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo.

No dia 19 de dezembro de 2001 foi nomeado pelo Papa João Paulo II como Bispo Titular de “Felbes” e Auxiliar para a Diocese de Santo André. Recebeu a Ordenação Episcopal no dia 02 de março de 2002, em São Bernardo do Campo, Diocese de Santo André, sendo sagrante Dom Décio Pereira e Co-Sagrantes Dom David Picão e Dom Manuel Parrado Carral. Tomou posse na Quinta-feira Santa do mesmo ano, sendo apresentado ao Clero e ao Povo, na Missa dos Santos Óleos.

Escolheu como lema episcopal “Ut faciam Deus, voluntatem tuam” (Hb 10,9), que quer dizer: “Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade”.

Com o falecimento do Bispo Diocesano, Dom Décio Pereira, no dia 05 de fevereiro de 2003, Dom Airton foi eleito pelo Colégio de Consultores como Administrador Diocesano de Santo André, cargo que ocupou até a nomeação de Dom Nelson Westrupp. Dom Airton permaneceu como Bispo Auxiliar em Santo André, exercendo as funções de acompanhamento das Pastorais Familiar, da Juventude, da Educação e do Ensino Religioso e a função de Secretário do Conselho Episcopal do Regional Sul 1 da CNBB.

No dia 04 de agosto de 2004, o Papa João Paulo II o nomeou Bispo da Diocese de Mogi das Cruzes, onde tomou posse canônica no dia 26 de setembro de 2004. Na 74ª Assembleia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, realizada entre os dias 07 de 09 de junho de 2011, em Aparecida, Dom Airton foi eleito Presidente do Sub-Regional São Paulo II e Presidente da Comissão para a Liturgia.

No dia 15 de fevereiro de 2012, o Papa Bento XVI nomeou Dom Airton como o 7º Bispo e 5º Arcebispo Metropolitano de Campinas. Em 15 de abril de 2012, na Igreja Paroquial de Nossa Senhora Auxiliadora, em Campinas, tomou posse acompanhado de diversos arcebispos e bispos, padres, religiosos e grande multidão de fieis.

Dom Airton presidiu a sua primeira Missa na Catedral Metropolitana de Campinas no dia 29 de abril de 2012, com a presença dos Padres, Diáconos, Seminaristas e dos Agentes de Pastoral das Paróquias da Arquidiocese de Campinas. Como ensina a Constituição Sacrossanctum Concilium, sobre a Sagrada Liturgia, essa Missa, chamada Estacional, é presidida pelo Bispo que, na qualidade de sumo sacerdote do seu rebanho, celebra a Eucaristia rodeado do seu presbitério e ministros, com a plena e ativa participação de todo o povo santo de Deus. Ela manifesta não somente a unidade da Igreja Local, mas também a diversidade dos ministérios ao redor do Bispo e da sagrada Eucaristia.

No dia 15 de maio de 2012, foi realizada no auditório Dom Gilberto, Campus I da PUC-Campinas, a cerimônia de posse de Dom Airton como Grão-Chanceler da Universidade. O Arcebispo foi apresentado ao Conselho da Universidade, formado por cerca de 30 pessoas, entre elas a Reitora, Vice-Reitor, Pró-Reitores e demais representantes da comunidade acadêmica.

Dom Airton recebeu o Pálio das mãos do Santo Padre, o Papa Bento XVI, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, na Solenidade de São Pedro e São Paulo, 29 de junho de 2012.

No dia 11 de outubro de 2011, o Papa Bento XVI assinou a Carta Apostólica Porta Fidei – A Porta da Fé, que proclamava o Ano da Fé, a ser realizado de 11 de outubro de 2012, no 50º aniversário de abertura do Concílio Vaticano II, até o dia 24 de novembro de 2013, Solenidade de Cristo Rei do Universo. Em Campinas, Dom Airton abriu oficialmente o Ano da Fé no dia 12 de outubro de 2012, na Solenidade de Nossa Senhora Aparecida, na Missa celebrada no Ginásio de Esportes do Guarani FC. Como parte da programação do Ano da Fé, no dia 1º de setembro de 2013, a Arquidiocese de Campinas realizou uma Romaria ao Santuário Nacional de Aparecida, onde Dom Airton presidiu a Santa Missa com a presença de mais de 17 mil romeiros. O Encerramento do Ano da Fé foi realizado na Praça Arautos da Paz, com enorme presença de fieis.

Quando Dom Airton tomou posse da Arquidiocese de Campinas, estava em vigor o 7º Plano de Pastoral Orgânica, que foi assumido em sua plenitude por ele. Depois, em 2013, foi feita uma grande avaliação do 7º PPO e, com a publicação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da CNBB para o período 2015-2019, a Arquidiocese de Campinas se sentiu desafiada a reorganizar o Plano de Pastoral com o objetivo de ajudar a Igreja local a se manter ativa, inspirada e alinhada às urgências para a ação evangelizadora apresentadas pela Igreja do Brasil. Com um trabalho de estudo e aprofundamento, nossa Igreja Particular se apropriou das inspirações do episcopado brasileiro para enriquecer e apresentar sob uma nova metodologia o seu Plano de Pastoral Orgânica. Assim, no final de 2015 foi publicado o Plano de Pastoral Orgânica (2015-2019) – Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Campinas.

Também no ano de 2013, foi realizada no Rio de Janeiro a 28ª Jornada Mundial da Juventude, com a presença do Papa Francisco na primeira viagem internacional de seu pontificado. Nas várias Dioceses do Brasil, foi realizada a Semana Missionária, que antecedeu a Jornada Mundial da Juventude. Entre os dias 17 e 20 de julho, Paróquias da Arquidiocese de Campinas receberam grupos de peregrinos vindos de todas as partes do mundo. Várias atividades foram realizadas nesses dias inesquecíveis, culminando com a Missa de Encerramento da Semana Missionária e envio dos jovens para a Jornada Mundial da Juventude, que foi presidida por Dom Airton, no dia 20 de julho, no Recinto da Festa do Figo, em Valinhos. Na Jornada Mundial da Juventude, Dom Airton foi um dos 250 bispos de diferentes nacionalidades que participou das pregações que aprofundaram o lema da JMJ, nas três manhãs de catequese.

No dia 03 de janeiro de 2014, Dom Airton assinou Decreto com a constituição de novas Foranias, em resposta aos apelos e frutos dos esforços na reflexão do 7º Plano de Pastoral Orgânica. Assim, a Arquidiocese passou a ter 13 Foranias.

Em 08 de novembro de 2014, na Igreja Nossa Senhora da Esperança, no Campus II da PUC-Campinas, Dom Airton presidiu a Missa de Fundação da Associação dos Médicos Católicos de Campinas, que foi concelebrada por Dom Giovanni D’Agnello, Núncio Apostólico no Brasil, e pelo Pe. Cláudio Wilson Müller, responsável pela Associação. Dom Airton criou a Associação com o objetivo de congregar os profissionais da medicina que se afirmam católicos e desejam exercer a sua profissão à luz dos princípios evangélicos. Tem por finalidade a definição e a difusão de princípios orientadores das atividades ligadas a saúde à luz da fé cristã, partindo da análise dos problemas e questões fundamentais do exercício contemporâneo da medicina nos domínios da ética e da moral, das ciências fundamentais e das ciências aplicadas e da saúde.

Dom Airton recebeu, no dia 04 de dezembro de 2014, no Plenário “José Maria Matosinho”, do Legislativo Municipal, o Título de Cidadão Campineiro, por proposição do Vereador Jorge Schneider, em Reunião Solene da Câmara Municipal de Campinas. Nesta ocasião, recebeu, também, a Medalha Arautos da Paz, por iniciativa do Vereador Luiz Henrique Cirillo, uma homenagem da Câmara Municipal às pessoas que tenham se destacado de forma exemplar no trabalho em defesa da vida e da paz.

Na tarde do dia 10 de junho de 2015, durante a 78ª Assembleia dos Bispos do Estado de São Paulo, Dom Airton foi eleito como Presidente da CNBB Regional Sul 1.

Dom Airton sempre se mostrou preocupado com a manutenção da história e das peças de arte da Arquidiocese. Assim, depois de reformar, preparar e adequar o Palácio Episcopal, na Rua José Ferreira de Camargo, 844, Bairro Nova Campinas, para lá transferiu e reinaugurou, no dia 08 de dezembro de 2015, o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas – MAAS, agora em espaço definitivo.

Em 11 de abril de 2015, véspera do 2º Domingo da Páscoa, também chamado Domingo da Divina Misericórdia, a Igreja foi mais uma vez alegremente surpreendida pelo Papa Francisco que, através da bula Misericordiae Vultus (O Rosto da Misericórdia), convocou a Igreja para um Ano Santo, chamado por ele “Ano Extraordinário da Misericórdia”. O Jubileu teve início no dia 08 de dezembro de 2015, na Solenidade da Imaculada Conceição, celebrando, também, os 50 anos de conclusão do Concílio Vaticano II. Na Arquidiocese de Campinas, foram definidas a Catedral Metropolitana e a Basílica Nossa Senhora do Carmo como referência para as peregrinações. No dia 13 de dezembro de 2015, saiu Procissão da Basílica Nossa Senhora do Carmo até a Catedral, onde Dom Airton presidiu a Celebração de Abertura da Porta Santa. Também neste dia, à tarde, na Basílica do Carmo, Dom Airton presidiu a Celebração da Abertura da Porta Santa. Na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, dia 20 de novembro 2016, Dom Airton presidiu a Missa de Encerramento do Ano Santo da Misericórdia, na Catedral Nossa Senhora da Conceição.

O Papa Francisco acolheu, no dia 16 de dezembro de 2015, o pedido de renúncia apresentado por Dom Paulo Sérgio Machado, Bispo da Diocese de São Carlos. No mesmo ato, o Papa nomeou Dom Airton para o cargo de Administrador Apostólico de São Carlos, com a função de conduzir a Diocese “vacante” até a nomeação de um novo bispo. Dom Airton administrou a Diocese de São Carlos até o dia 06 de agosto de 2016, Festa da Transfiguração do Senhor, na Catedral São Carlos Borromeu, quando foi celebrada a Missa com a Posse Canônica de Dom Paulo Cezar Costa como 7º Bispo da Diocese.

Inspirados pelo Ano Jubilar da Misericórdia, pelos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida (Ano Jubilar para o Brasil), pelo Novo Plano de Pastoral da Arquidiocese de Campinas e pelos 10 anos do Documento de Aparecida, a Arquidiocese de Campinas decidiu pela realização do uma grande Jornada Missionária no ano de 2016, que teve como tema “Igreja em Saída”. A JM teve como objetivos expressar o esforço da Arquidiocese para ser uma Igreja em saída, como discípulos e discípulas missionários; estruturar a animação missionária em todos os segmentos, a partir da “Urgência da Igreja em estado permanente de missão” do novo Plano de Pastoral Orgânica 2015-2019; fortalecer pela missão a integração das Comunidades nas Foranias; motivar e preparar para a grande peregrinação da Arquidiocese para o Santuário Nacional de Aparecida, realizada em maio de 2017. A Jornada foi preparada para o período de 03 de outubro a 08 de dezembro de 2016, com a realização, também de uma Pré-Jornada de formação, de julho a setembro.

Na abertura da Jornada Missionária, dia 03 de outubro de 2016, uma segunda-feira, mais de cinco mil peregrinos estiveram em Romaria no Santuário Nacional de Aparecida, onde Dom Airton presidiu a Eucaristia e recebeu a Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida. De 03 a 11 de outubro, toda a Arquidiocese participou, nas Paróquias, da Novena de Nossa Senhora Aparecida. Na Solenidade da Padroeira do Brasil, Dom Airton presidiu, na Praça lotada da Catedral, a Missa do Jubileu dos Agentes de Pastoral e de Envio dos agentes para a Missão. No período de 12 de outubro a 08 de dezembro de 2016, houve um grande mutirão missionário, com visitas dos agentes às residências e a realidades da Arquidiocese.

Depois, de 08 de dezembro de 2016 a maio de 2017, as Paróquias receberam a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora Aparecida. No encerramento da Jornada Missionária, foi realizada, no dia 27 de maio de 2017, uma Grande Peregrinação da Arquidiocese de Campinas ao Santuário Nacional de Aparecida, com a participação de mais de 15 mil fieis, para marcar os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora no Rio Paraíba.

No dia 09 de julho de 2016, Dom Airton recebeu a Medalha Samuel Lisman de Artes, comenda conferida pela Academia Campineira de Letras e Artes – ACLA. Essa homenagem é conferida anualmente a personalidades de Campinas que tiveram relevante importância na vida cultural da cidade. Dom Airton a recebeu pela continuidade e novo incentivo que deu ao trabalho desenvolvido pelo Curso de Extensão de Música Litúrgica – CEMULC, pelo Coro da Arquidiocese de Campinas e pelo restauro do Palácio Episcopal, que foi destinado a ser espaço definitivo do Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas.

No final da Missa da Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, celebrada no dia 08 de dezembro de 2017, Dom Airton assinou, juntamente com autoridades do Tribunal do Trabalho, a Carta de Campinas pela erradicação ao trabalho infantil, com o objetivo de esclarecer a sociedade dos reais danos que o trabalho infantil acarreta às crianças e aos adolescentes e para que elas tenham respeitados os seus direitos de uma adequada formação humana e profissional, sem a responsabilidade de serem os mantenedores da sobrevivência familiar.

Desde sua posse, Dom Airton mostrou-se preocupado e comprometido com as vocações sacerdotais. Ao longo desses anos, a Pastoral Vocacional desenvolveu um trabalho eficaz de formação, informação e atendimento aos jovens, tendo como fruto, nesse ano de 2018, o número expressivo de 58 seminaristas, nas três etapas de formação, propedêutico, filosofia e teologia, e 3 que se encontram no ano de discernimento.

Dom Airton, na Arquidiocese de Campinas, ordenou 16 Padres Diocesanos, 5 Diáconos Permanentes e 2 Diáconos que aguardam a Ordenação Presbiteral. Criou, nesse período, 15 Paróquias, sendo 6 em Campinas, 2 em Hortolândia, 2 em Indaiatuba, 1 em Monte Mor, 1 em Paulínia, 1 em Sumaré, 1 em Valinhos e 1 em Vinhedo.

Informações da Arquidiocese de Campinas


Pesquisar

Categoria (s)

Veja também

PUC-Campinas promove atividade em comemoração à Semana Mundial de Amamentação

PUC-Campinas divulga a 12ª Chamada da Lista de Espera do Curso de Medicina – 2º semestre de 2018

PUC-Campinas, em parceria com o Sebrae, sedia evento sobre startups e inovação

Palestra: 5 steps to study in the U.S. (Getting Started – O começo da sua jornada para estudar nos EUA)

CRIANÇAS PARTICIPANTES: PROJETO FÉRIAS NA PUC-CAMPINAS – EDIÇÃO INVERNO 2018