Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Contatos oficiais Área do aluno
Novo Vestibular

Câncer de Próstata

Durante o mês de novembro são intensificadas as campanhas de prevenção ao câncer de próstata. No Brasil, a doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele).

Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A maioria, porém, cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida nem a ameaçar a saúde do homem.

A próstata é uma glândula que só o homem possui e está na parte baixa do abdômen, logo abaixo da bexiga. Cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos, o que não elimina o cuidado para homens mais novos, principalmente se há ocorrência da doença na família.

Durante o mês de novembro estimule as ações de prevenção.

O que aumenta o risco?

  • A idade é um fator de risco importante, pois os casos e mortalidade aumentam muito após os 50 anos.
  • Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, podendo refletir tanto fatores hereditários quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.
  • Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de próstata avançado.
  • Exposição a determinados produtos como aminas aromáticas (compostos comuns nas indústrias química, mecânica e de transformação de alumínio), arsênio (usado como conservante de madeira e como agrotóxico), produtos de petróleo, motor de escape de veículo, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, fuligem e dioxinas.

Sinais e sintomas

Na fase inicial, o câncer de próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, como dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Detecção precoce

A detecção precoce é muito importante, pois amplia a chance de encontrar um tumor em fase inicial e, assim, garantir a oportunidade de um tratamento bem-sucedido.

Ela pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais, endoscópicos ou radiológicos de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença, ou daquelas sem sinais ou sintomas, mas pertencentes a grupos de risco elevado para desenvolver o câncer.

Entre os principais exames utilizados para detectar o câncer de próstata estão o de sangue, para avaliar a dosagem do PSA, e o toque retal.

O diagnóstico precoce desse tipo de câncer possibilita melhores resultados no tratamento e deve ser buscado com a investigação de sinais e sintomas como:

  • Dificuldade de urinar
  • Diminuição do jato de urina
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite
  • Sangue na urina

Na maior parte das vezes, esses sintomas não são causados por câncer, mas é importante que eles sejam investigados por um médico.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de uma biópsia, que só é realizada dependendo do resultado do toque retal e do exame de PSA.

Tratamento

Para doença localizada, ou seja, aquela que não se espalhou para outros órgãos, há cirurgia e radioterapia. Em casos avançados a radioterapia ou cirurgia têm combinação com tratamento hormonal.

Já para casos em que a doença se espalhou, o tratamento mais indicado é a terapia hormonal.

ATENÇÃO, HOMENS!

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou dos 50 anos sem esses fatores, devem ir ao urologista.