Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

A Arquidiocese de Campinas celebra, no dia 23 de maio (quinta-feira), uma missa em memória dos 100 anos do nascimento de Dom Agnelo Rossi, o 1º vice-reitor da PUC-Campinas. A Celebração Eucarística será às 19h30, no Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Campinas, e será presidida por Dom Giovanni D'Aniello, Núncio Apostólico no Brasil. A missa será concelebrada por Dom Airton José dos Santos, Arcebispo Metropolitano de Campinas, Dom Odilo Scherer, Arcebispo de São Paulo e Bispos convidados.

Dom Agnelo Rossi

 

Nasceu em Joaquim Egídio, Campinas, em 4 de maio de 1913 e morreu em Helvetia, Indaiatuba, em 21 de maio de 1995.

 

Realizou os primeiros estudos em Valinhos, depois no Seminário Diocesano Santa Maria, de Campinas, e Teologia na Universidade Gregoriana de Roma, como aluno de matrícula n° 1, do recém criado Colégio Pio Brasileiro, de Roma, cidade onde foi ordenado sacerdote em 27/03/37.

 

Retornando à cidade natal, trabalhou como secretário de D. Francisco de Campos Barreto, e com  Mons. Emílio José Salim dedicou-se por longos anos às faculdades campineiras, embrião da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, sendo seu primeiro Vice-Reitor e quando Cardeal, em Roma, trouxe para ela o título de Pontifícia.

 

Bispo de Barra do Piraí e Volta Redonda e arcebispo de Ribeirão Preto. Em novembro de 1964 foi nomeado arcebispo de S. Paulo e, em 25/01/65, Cardeal. Em São Paulo exerceu profícuo ministério criando 120 novas paróquias; com o Governo estadual, o Museu de Arte Sacra, no Mosteiro da Luz; vários institutos; e dinamizou a conclusão das torres da catedral. Presidente da CNBB por dois mandatos.

 

Chamado à Roma pelo Papa Paulo VI, assumiu a Congregação para Evangelização dos Povos, dedicando-se por longos anos ao trabalho junto aos povos de missão, nas Américas, África, Ásia e Oceania. Reformulou a Pontifícia Universidade Urbaniana, da qual era Grão Chanceler; edificou inúmeros centros de estudos missionários, e visitou mais de uma centena de nações. Depois, tornou-se Presidente da Administração do Patrimônio da Santa Sé, Cardeal-Bispo de Sabina e Poggio Mirteto e eleito Cardeal Decano do Colégio Cardinalício, tornando-se um dos brasileiros que mais se destacou no cenário mundial.

 

Doente, renunciou, voltou para a pátria e nos últimos anos de vida, conseguiu ainda, com ajuda de amigos dedicados, erguer o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Campinas, e São Miguel e dos Santos Anjos, em Sumaré.



Portal Puc-Campinas
21 de maio de 2013