Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Os dados do Boletim Econômico – Acompanhamento Comércio Exterior, referente ao mês de outubro, aponta que a exportação da Região Metropolitana de Campinas (RMC) aumentou 9,4% e a importação diminuiu 2,5% em relação ao mês de setembro. Já na comparação no acumulado do ano (janeiro a outubro) a exportação cresceu 18,8% e a importação aumentou 24,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Tanto a exportação quanto a importação de bens efetuados pela RMC já atingiram os valores do ano passado, o que demonstra que a região deverá fechar o ano com um volume efetuado de comércio exterior cerca de 20% maior que 2009.

No entanto, mesmo com crescimento das vendas externas, em relação a 2009, os valores exportados pela RMC têm aumentado em ritmo menor que as exportações do Brasil e do estado de São Paulo. De acordo com a pesquisa, isto demonstra a dificuldade das regiões mais industrializadas do país em exportar bens manufaturados com a moeda valorizada, como se encontra o Real neste momento.

Com a expansão das exportações de bens da indústria ferroviária, o município de Hortolândia já se destaca como o quinto maior exportador da RMC, neste mesmo período do ano passado era o oitavo. No acumulado do ano, as exportações de Hortolândia cresceram cerca de 200% em relação a 2009. Outro município com forte atividade exportadora no momento é Itatiba, onde as exportações dobraram em 2010 em relação a 2009. No caso de Itatiba impulsionada por vendas externas da indústria de autopeças.

Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas – Acompanhamento Comércio Exterior é produzido pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas. A pesquisa completa está disponível no site www.puc-campinas.edu.br/imprensa.



Portal Puc-Campinas
16 de novembro de 2010