Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Boletim Econômico da PUC-Campinas

aponta aumento de 15,9% na exportação de bens

A pesquisa também traz informações sobre Finanças Públicas e emprego

Os dados do Boletim Econômico – Acompanhamento Comércio Exterior apontam que no mês de janeiro de 2010 a Região Metropolitana de Campinas (RMC) apresentou crescimento de 15,9% na exportação de bens e uma diminuição de 7,6 % na importação de bens, em relação a janeiro de 2009.

A recuperação na exportação esta em andamento nos principais municípios da RMC, com apenas 5 municípios apresentando diminuição de vendas para o exterior: Jaguariúna, Vinhedo, Cosmópolis, Santa Barbara e Artur Nogueira.

Destaca-se como destino da exportação da RMC, neste início de 2010, a Argentina, e, no tocante a importação é cada vez maior a presença da China como fornecedora de bens para a RMC. O mês de janeiro apresentou um bom crescimento da exportação da RMC em relação a janeiro de 2009, com expansão de 15,9% e um pequeno decréscimo nas importações, da ordem de 8%. Como podemos observar nos dados deste Boletim, as exportações da RMC cresceram mais para a Argentina e países da América latina. O que corrobora a tese que em momentos de crise as empresas aprofundam seus esforços para atenderem seus mercados mais tradicionais e mais próximos.

De acordo com a pesquisa, expectativas para 2010 são, desta forma, por um lado promissoras dadas as expectativas de recuperação das exportações e manutenção da demanda interna que ocorreu ao longo do ano passado, e por outro lado preocupantes, dada a conjuntura internacional se agravar e/ou as autoridades monetárias brasileiras, insistindo no medo do fantasma inflacionário, elevarem a taxa de juros básica da economia. Vamos esperar que o cenário mais promissor se estabeleça. Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas Acompanhamento Comércio Exterior é produzido pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas.

Finanças Públicas na RMC

Os municípios da RMC receberam, no mês de janeiro, um total de R$ 282,9 milhões em repasses, número que é 14% que os R$ 247 milhões recebidos em janeiro de 2009. Este número ainda supera em 44% os R$ 195 milhões recebidos em dezembro de 2009.

Mesmo considerando que há uma importante concentração de arrecadação do IPVA nos 3 primeiros meses de 2010, os resultados são indicadores de melhoras na arrecadação – e consequentemente nos repasses – em razão da recuperação da crise econômica deflagrada em setembro de 2008 e que atingiu a economia mundial durante grande parte do ano de 2009.

Analisando isoladamente os dois principais repasses (ICMS e IPVA), vemos que o os repasses do ICMS aos municípios da RMC foram 24% maiores na comparação com o mês de janeiro de 2009. Já os repasses do IPVA apresentaram variação de 5% em relação a Janeiro de 2009. Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas Acompanhamento Finanças Públicas é feito pelo professor Pedro de Miranda Costa do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas.

Emprego

Os dados do Boletim Econômico – Acompanhamento Emprego da PUC-Campinas, referente ao mês de dezembro aponta que a RMC No acumulado do ano, o saldo de emprego fica positivo pouco menos de 18 mil vagas, sendo que foram destruídas 9.779 postos de trabalho. Contrariando as expectativas, as atividades de serviços e industriais lideram o processo de destruição de vagas.

Foram perdidas 3.563 nos serviços e 2.796 nas atividades industriais. Por faixa etária, a contração de vagas foi mais intensa entre os empregados com 25 a 39 anos e com mais de 40 anos, e com escolaridade de ensino médio. Pela primeira vez no ano, a contração de vagas ocorreu em todos os portes de empresa.

Dos 19 municípios que compõem a RMC, o maior destaque na redução de postos de trabalho foi Campinas (-3.514). Em segundo lugar aparece Cosmópolis (-1.154) e depois Santa Bárbara D´Oeste (1.040). Em Campinas os segmentos que mais reduziram a demanda foram os serviços de apoio à produção (-1.433), as atividades de ensino (-687) e de comércio varejista (-569). Em Cosmópolis a contração de vagas foi observada na indústria de produtos alimentícios (-544) e em Santa Bárbara D ´Oeste no segmento de agricultura (-763). O Boletim Econômico – Acompanhamento Emprego é feito pela professora do Centro de Economia e Administração (CEA) Eliane Navarro.

Indicadores Macroeconômicos

A seção Indicadores Econômicos, feita pelo professor Fábio Iaderozza, traz o índice da Produção Industrial em novembro de 2009, registrou variação negativa de 0,2% em relação ao mês anterior, na série livre de influências sazonais, após avançar 19,4% entre janeiro e outubro. Na comparação com novembro de 2008 o aumento foi de 5,1%, revertendo a seqüência de doze meses de resultados negativos neste tipo de comparação.

As mais recentes taxas de Desemprego divulgadas pelo Dieese (PED) e pelo IBGE (PME), referentes às seis principais regiões metropolitanas do país, continuaram a mostrar um sinal de declínio. No mês de novembro de 2009, a PED do Dieese apresentou ligeira queda em ralação ao mês de outubro (13,2% contra 13,7%) ficando 0,2% acima da taxa observada no mesmo período do ano passado (13%). A pesquisa completa está disponível no portal www.puc-campinas.edu.br/imprensa.



Portal Puc-Campinas
9 de março de 2010