Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Relacionamento Área do aluno
Vestibular 2022

Câncer de Mama

Outubro é o mês dedicado ao diagnóstico precoce do câncer de mama, e o envolvimento de todos, independentemente de gênero, é fundamental para a prevenção da doença.

O tumor é causado pela multiplicação desordenada de células anormais da mama e tem potencial de invadir outros órgãos. Há vários tipos, podendo alguns se desenvolver rápido e outros crescer lentamente. Embora rara, a doença também ocorre em homens, representando apenas 1% do total de casos.

A maioria dos casos, quando detectados e tratados precocemente, pode ser curada.

O que aumenta o risco?

O câncer de mama tem várias causas, dentre as quais a idade e predisposição genética são os principais fatores de risco para a doença. Cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos.

 

Fatores comportamentais que aumentam o risco:

  • Obesidade e sobrepeso.
  • Falta de atividade física.
  • Consumo de bebida alcoólica em excesso.
  • Tabagismo.

Fatores da história reprodutiva e hormonal que aumentam o risco:

  • Primeira menstruação antes de 12 anos.
  • Não ter tido filhos.
  • Primeira gravidez após os 30 anos.
  • Menopausa após os 55 anos.
  • Uso de contraceptivos hormonais.
  • Reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores genéticos e hereditários que aumentam o risco:

  • História familiar de câncer de ovário.
  • Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos.
  • História familiar de câncer de mama em homens.

Mas atenção: a presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que necessariamente uma pessoa terá a doença.

Prevenção

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis. Anote, pratique e incentive:

  • Prática de atividade física regular.
  • Controle do sobrepeso.
  • Evitar tabagismo.
  • Amamentar seu bebê o máximo de tempo possível.

Sinais e sintomas

O câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio dos seguintes sinais e sintomas:

  • Caroço fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença e está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Por isso é tão importante fazer o autoexame.
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja.
  • Alterações no mamilo.
  • Pequenos caroços nas axilas ou no pescoço.
  • Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Detecção precoce

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos. Isso aumenta a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com taxas de sucesso satisfatórias.

É importante que as mulheres de todas as idades observem suas mamas regularmente, por exemplo, no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano. Caso perceba alterações, procure um serviço de saúde. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres, sendo a mamografia o primeiro e mais fácil exame para identificar alterações suspeitas de câncer antes mesmo do surgimento dos sintomas.

Tratamento

O tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.

Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial de cura. No caso de a doença já ter se espalhado para outros órgãos, o tratamento busca prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida.

Faça o autoexame e espalhe essas informações.