Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Os dados do Boletim Econômico – Acompanhamento Comércio Exterior traz um balanço das exportações e importações na Região Metropolitana de Campinas (RMC) em 2010. Tanto as exportações como importações da RMC aumentaram em relação ao ano de 2009. A exportação cresceu 19,1% e a importação cresceu 24,3%. A RMC voltou em 2010 aos valores de importação praticados antes da crise financeira internacional em 2008, no entanto o valor exportado ainda ficou cerca de 15% abaixo de 2008.

O município de Hortolândia foi o destaque positivo nas exportações da RMC. As vendas ao exterior das empresas instaladas em Hortolândia aumentaram em cerca de 230%. Ganhou destaque dentre os bens exportados os produtos da indústria de transportes (automóveis, autopeças e equipamentos ferroviários). O município passou de oitavo para quinto maior exportador da RMC suplantando os municípios de Jaguariúna, Americana e Vinhedo. As razões para esta expansão exportadora estão nos bens e equipamentos ferroviários, que passaram a ser destaques na pauta exportadora da RMC neste ano, em especial, sendo exportados para a União Européia.

Do lado importador, dada a expansão da indústria automotiva na região, as autopeças também é o principal em conjunto com outros bens intermediários, tais como os insumos para a indústria química, de agroquímicos e medicamentos, e os insumos para a indústria eletro-eletrônico (circuitos, placas de memória, telas de LCD, dentre outros). Além dos citados, um dos produtos com maior aumento de importação na RMC foi a borracha natural, crescimento de 250%.

Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas – Acompanhamento Comércio Exterior é produzido pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas. A pesquisa completa está disponível no site www.puc-campinas.edu.br/imprensa.



Portal Puc-Campinas
17 de janeiro de 2011