Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Atendidos em Projeto de Extensão, jovens com Síndrome de Down gravam vídeos sobre prevenção da Covid-19

Materiais visam informar público-alvo, que integra grupo de risco da doença, com linguagem ajustada às suas necessidades

Um projeto de extensão da PUC-Campinas, aderido por estudantes voluntários das Faculdades de Farmácia, Jornalismo, Medicina, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional e também pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, resultou na produção de uma série de materiais voltados à orientação de jovens assistidos pela Fundação Síndrome de Down de Campinas. Disponibilizado nesta segunda-feira (13), o conteúdo traz informações referentes ao coronavírus com linguagem direcionada e ajustada às necessidades do público-alvo.

De acordo com o Prof. Dr. José Francisco Kerr Saraiva, responsável pela coordenação do projeto, a iniciativa é resultante da experiência prévia com a Fundação Síndrome de Down num trabalho focado na promoção de hábitos saudáveis e na prevenção de doenças cardiovasculares. “Devido aos problemas que comprometem a imunidade desses indivíduos, que hoje integram um grupo de risco do novo coronavírus, entendemos que seria importante mantê-los orientados sobre os riscos e os métodos de prevenção, evitando o contágio desses jovens”, disse o extensionista.

O trabalho, conduzido por videoconferências em razão do distanciamento social, contou com a participação da Sociedade Brasileira de Cardiologia – que possui expertise nas áreas de nutrição saudável e exercícios físicos –, além de alunos de diferentes áreas do conhecimento, como saúde e comunicação. A característica interdisciplinar do projeto tem como objetivo garantir o máximo de informações relevantes ao público para o qual os materiais se destinam.

Como resultado, foram desenvolvidas cartilhas digitais e animações, bem como vídeos gravados pelos próprios jovens com Síndrome de Down. “A ideia é que eles possam conversar com os seus pares e se sintam representados na campanha”, destacou a estudante Celina Silveira, do último ano de Jornalismo da PUC-Campinas.

Os temas abordados nos vídeos foram: a importância de ficar em casa; a importância da higiene das mãos; como aproveitar a quarentena; e dicas de atividades físicas. ASSISTA ABAIXO:




Importância para os alunos

Além de cumprir com o propósito da extensão universitária, permitindo o compartilhamento de conhecimentos produzidos nos campos do ensino e da pesquisa com a comunidade, a iniciativa junto à Fundação Síndrome de Down possibilitou o aprendizado prático dos alunos voluntários, tanto na formação acadêmica como humana.

“Não é possível comunicar uma mensagem se não levarmos em consideração as particularidades do nosso público. Apesar de ter certa experiência em rádio, tive dificuldades para acertar o tom e o ritmo mais adequado para os jovens com Síndrome de Down. Tive que aprender com pessoas que convivem com esse público. Portanto, eles não foram os únicos beneficiados com o projeto. Para mim, foi uma experiência muito satisfatória”, afirmou Celina, responsável pela narração da animação desenvolvida na ação.

No terceiro ano da Faculdade de Nutrição, a estudante Julia Abend Bardagi também enaltece a importância do projeto na ótica acadêmica, tendo em vista seus estudos focados em orientação nutricional para grupos específicos, mas reitera que a grande realização é poder contribuir nesse momento delicado vivido mundialmente. “Fico realizada ao saber que posso ajudar a população com Síndrome de Down, muitas vezes negligenciada, a aderir hábitos de vida mais saudáveis”, justifica.



Avelino Souza
13 de abril de 2020