Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

Qualquer pessoa deve contar com avaliação médica para praticar esportes, mas para os atletas profissionais esse cuidado deve ser ainda maior. Segundo o cirurgião cardíaco Eloy da Costa, médico responsável pela equipe que fez a recente cirurgia no jogador Carlos Cezar Souza Filho, o Carlinhos da Ponte Preta, a prevenção é a melhor forma de evitar problemas futuros com atletas profissionais. É através de exames que são constatadas as más formações cardíacas congênitas que muitas vezes podem passar despercebidas, se manifestando apenas quando o corpo é submetido a uma atividade física intensa.

Foi por meio de exames preventivos que o problema de Carlinhos foi detectado a tempo de realizar a cirurgia corretiva, que permitirá ao atleta retornar ao esporte. Ele se submeteu à cirurgia na última quinta-feira, 6 de abril, e está tendo alta hoje (17 de abril). A previsão do médico é que já possa iniciar os treinamentos em três meses.

Das doenças de coração, a cardiopatia congênita é uma das mais comuns, representando cerca de 15% dos casos. Entre as más formações pode-se citar, entre outras, as comunicações interatriais (ligação anômala entre os átrios direito e esquerdo), e as comunicações interventriculares (ligação entre os dois ventrículos por um defeito no septo que também os separam). Este foi o caso do jogador da Ponte Preta.

O volante Carlinhos descobriu o problema cardíaco num check-up de rotina e foi então encaminhado ao Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP), da PUC-Campinas. “A identificação do problema rápido foi fundamental para a obtenção de um resultado positivo da cirurgia, preservando o coração do atleta e garantindo que possa retomar suas funções como jogador profissional”, explica Costa.

Segundo o cirurgião, a cardiopatia congênita pode passar despercebida durante toda a infância. Mas quando detectada cedo, o ideal é que a criança seja operada entre 4 e 5 anos de idade. “Os pais precisam estar atentos para notar se os filhos sentem-se cansados, ofegantes, se têm uma estatura abaixo do esperado pela idade”, diz o médico.

Na fase adulta, os defeitos cardíacos podem ser identificados por meio de exames periódicos. No caso dos atletas, a atenção e os cuidados devem ser redobrados, alerta o cirurgião. “Os atletas que se submetem a atividades físicas de alta intensidade têm um excesso de fluxo de sangue passando pelo coração, o que pode sobrecarregá-lo e causar lesões”, orienta.

Costa ressalta que no caso do volante Carlinhos o problema foi detectado a tempo de se recuperar e voltar a jogar. Caso contrário, num esforço maior poderia se repetir o que ocorreu com o zagueiro Serginho, do São Caetano, que morreu em campo em 2004.

Neste primeiro mês pós-operatório o volante pontepretano fará uma série de avaliações cardiovasculares para acompanhamento do quadro clínico. “Se o quadro do paciente continuar em evolução como está, em três meses poderá retornar aos treinos no time”, prevê Eloy da Costa.

Serviço de Cardiologia

O Serviço de Cardiologia do Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP), da PUC-Campinas, sob responsabilidade do médico José Francisco Kerr Saraiva, conta com 25 cardiologistas e 3 residentes. O Serviço é composto por Hemodinâmica (Cateterismo Cardíaco) com capacidade de realizar 10 atendimentos por dia, Unidade Coronária com 7 leitos e exames de ergometria, holter, ecocardiograma e eletroencefalograma e consulta médica, todos com atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e convênios privados e particulares.

Hoje, Campinas possui uma demanda de 1.300 procedimentos cardíacos por ano, mas são feitos apenas 200. O Serviço de Cardiologia do Hospital e Maternidade Celso Pierro, estruturado com as Unidades Coronária e Hemodinâmica, aguarda o credenciamento com o SUS, para tentar suprir esta demanda, realizando em média 20 cirurgias por mês. Para se ter uma idéia a Unidade de Hemodinâmica do Hospital, onde é realizado o cateterismo, tem atendido somente pacientes de convênios.



Portal Puc-Campinas
10 de abril de 2006