Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

A Pesquisa da PUC-Campinas confirma expansão de déficit comercial na RMC com 5,9 bilhões de dólares em exportação e 8,6 bilhões de dólares em importação

A pesquisa sobre Comércio Exterior, que integra o Boletim Econômico da PUC-Campinas, apresenta um balanço das atividades comerciais em 2007. Os dados do estudo indicam que o ano passado registrou um déficit comercial na Região Metropolitana de Campinas (RMC) da ordem de 92,3%. As exportações tiveram um aumento de 5,5%, enquanto as importações cresceram 22,9%. De acordo com a pesquisa, realizada pelo professor Adauto Roberto Ribeiro, do Centro de Economia e Administração (CEA) da Universidade, A cidade de Jaguariúna é a maior exportadora e importadora da região, seguida por Campinas. Esses índices devem-se a empresa Motorola, que sozinha representa 22,7% das exportações e 21,8% das importações da RMC. A íntegra da pesquisa realizada pelo professor pode ser consultada no Portal PUC-Campinas – www.puc-campinas.edu.br/impensa, no link no Boletim Econômico.

Apesar da RMC ter diminuído sua participação percentual na exportação do estado de São Paulo – passando de 11,1% para 10,5% – e na exportação em âmbito nacional – de 4% para 3,7% – algumas cidades da região registraram um crescimento tanto na atividade de exportação quanto de importação. Hortolândia apresentou o maior crescimento exportador com 92,7%. Já o município de Santo Antonio de Posse registrou o maior crescimento em importação com 256,8%. Especificamente tratando do município de Campinas, observa-se uma inversão no saldo comercial, com diminuição da exportação em 12% e crescimento da importação em 16%, com isso o superávit apresentado em 2006 de 102 milhões de dólares se transformou em déficit em 2007 de 294 milhões de dólares.

A importação de bens intermediários – insumos, peças e componentes – foi a que mais se expandiu, tendo um aumento 35,5%. Já a exportação de bens de capital – máquinas e implementos – teve uma redução de 6,5%. Cerca de 61% da exportação da RMC teve como destino os países da América do Sul mais México e Cuba (Aladi).

A pesquisa de comércio exterior tem como objetivo caracterizar e acompanhar de maneira sistemática a evolução e as transformações no fluxo de comércio exterior da (RMC) e do município de Campinas, utilizando os dados coletados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil (MDIC).



Portal Puc-Campinas
31 de janeiro de 2008