Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

O Serviço de Mastologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital e Maternidade Celso Pierro, da PUC-Campinas, promove amanhã, 27 de maio, o primeiro Mutirão de Cirurgias de Câncer de Mama pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é eliminar a fila de espera, que hoje conta com 50 mulheres. “O tempo entre o diagnóstico do câncer de mama e a cirurgia deve ser pequeno, para que a doença não progrida”, explica o médico mastologista responsável pelo mutirão, Júlio César Narciso Gomes.

Serão realizadas 10 cirurgias, sendo que uma é para o tratamento do câncer de mama e as outras para o diagnóstico de lesões não palpáveis na mama (cirurgia de ressecção da mama, ou seja, retirada de uma parte da mama). As mulheres que passarão pelo processo cirúrgico são pacientes do HMCP que estavam com as cirurgias marcadas para junho deste ano e, com o mutirão, terão o processo adiantado. “Até o final de junho devemos realizar o segundo mutirão. Nossa meta é zerar a fila de espera”, completa o médico.

O câncer de mama é, provavelmente, o mais temido pelas mulheres, devido à alta freqüência e sobretudo pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a própria imagem pessoal. Ele é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima desta faixa etária sua incidência cresce progressivamente.

Este tipo de câncer representa nos países ocidentais uma das principais causas de morte em mulheres. As estatísticas indicam o aumento de sua freqüência tantos nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 60 e 70 registrou-se um aumento de 10 vezes nas taxas de incidência ajustadas por idade nos Registros de Câncer de Base Populacional de diversos continentes.

No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres. De acordo com a Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil para 2006, é o segundo tipo de câncer de maior incidência, com 48.930 casos.

Fatores de Risco

História familiar é um importante fator de risco para o câncer de mama, especialmente se um ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) foram acometidos antes dos 50 anos de idade.

A idade se constitui em outro indicador, relacionada a um aumento rápido da incidência. A menarca precoce (idade da primeira menstruação), a menopausa tardia (instalada após os 50 anos de idade), a ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e a nuliparidade (não ter tido filhos), constituem também em preponderantes para o surgimento da doença.

A ingestão regular de álcool, mesmo que em quantidade moderada, é também identificada como fator de risco para o câncer de mama, assim como a exposição a radiações ionizantes em idade inferior a 35 anos.

Serviço
O Serviço de Mastologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Celso Pierro é coordenado por dois ginecologistas de diferentes especialidades: o mastologista Júlio César Narciso Gomes e o oncologista Luiz Henrique Silva Leme. Funciona de segunda e quinta-feira no período da tarde, com consultas agendadas por encaminhamento médico.



Portal Puc-Campinas
25 de maio de 2006