Acessibilidade  
Central de Atendimento ao Aluno Área do aluno
Vestibular 2021

No mês de setembro, os repasses estaduais feitos à Região Metropolitana de Campinas (RMC) foram de R$ 170,6 milhões. Desse total, os repasses do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) representaram quase a totalidade dos repasses (99,4%), sendo 78,6%, o ICMS e 20,9% o IPVA.

O mês de setembro foi o que apresentou os melhores resultados. Comparado com o mesmo período de 2008, os resultados permanecem inferiores, influenciados pelo menor volume de repasses de ICMS. O acumulado dos repasses de janeiro a setembro de 2009 foi de R$ 1, 525 bilhões, valor 1,95% inferior ao de 2008 (R$ 1,555 bilhões). Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas – Acompanhamento Finanças Públicas é realizado pelo professor Pedro de Miranda Costa.

Emprego

Os dados do Boletim Econômico – Acompanhamento Emprego, referente ao mês de agosto aponta a criação de 5.508 postos de trabalhos formais na Região Metropolitana de Campinas, resultando no acumulado de 11.737 novos postos de trabalho. Dos 19 municípios da RMC, a cidade de Campinas teve a criação de 1.691 postos de trabalho. Deste total, 510 são do comércio varejista e 329 em atividades de ensino.

Por área de faixa etária, há um saldo positivo de 3.346 postos para jovens de até 24 anos, ou seja, 61%. A remuneração dos recém-contratados nesta faixa etária é R$ 735, aproximadamente 18% inferior à média do total da RMC. A pesquisa ainda mostra que por escolaridade, 2.974 novos postos de trabalho. A remuneração média dos recém-contratados com este perfil de escolaridade ficou em torno de R$ 844, cerca de 47% do valor pago aos trabalhadores recém-contratados. O Boletim Econômico – Acompanhamento Emprego é feito pela professora do Centro de Economia e Administração (CEA) Eliane Navarro.

Comércio Exterior

Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas, do mês de setembro, mostram que a Região Metropolitana de Campinas (RMC) teve um crescimento de 13,7% nas exportações e 17,2% nas importações, comparados ao mês de agosto. Desde janeiro até setembro, a RMC exportou cerca de US$ 3,1 bilhões e importou aproximadamente US$ 6,4 bilhões. A exportação diminuiu em 33,4% e a importação recuou em 24,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Dos 19 municípios da RMC, 11 ampliaram as exportações em setembro. Com destaque para a recuperação da exportação em municípios mais industrializados como Sumaré, Paulínia, Jaguariúna e Indaiatuba. As cidades que apresentaram crescimento na exportação foram Cosmópolis e Pedreira.

De acordo com os dados da pesquisa, o aumento da importação se deve em razão a recuperação da economia brasileira, que aumenta a importação de bens intermediários e de consumo final para o atendimento ao mercado interno.

Os dados do Boletim Econômico da PUC-Campinas Acompanhamento Comércio Exterior produzido pelo professor Adauto Roberto Ribeiro do Centro de Economia e Administração (CEA) da PUC-Campinas.

Indicadores Macroeconômicos

A produção industrial no mês de agosto avançou 1,2% em relação a julho, registrando o oitavo mês consecutivo de variação positiva. Porém, comparado com o mesmo período de 2008, há um recuo de 7,2%. A análise ainda traz números referentes ao desemprego, inflação, reservas internacionais, entre outros.

Assunto em Foco

Na seção Assunto em Foco traz uma análise sobre a taxação do capital externo e os Riscos de crédito ao consumidor. O Boletim Econômico ainda traz um artigo do professor José Alex Rego Soares sobre a política de transferência de renda. A pesquisa completa está disponível no site www.puc-campinas.edu.br/imprensa.



Portal Puc-Campinas
28 de outubro de 2009