Objetivo geral

A Avaliação do Ensino visa implementar as diretrizes da Política de Graduação definidas para a PUC-Campinas, e também contemplar as exigências legais do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), no sentido de diagnosticar, redefinir metas e acertar rotas para manter a missão da Universidade de proporcionar um ensino de qualidade, garantindo a formação integral de um cidadão crítico e atualizado em relação às necessidades sociais e às exigências profissionais.

Breve histórico

Em 2006, foi constituído pela Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) um Grupo de Trabalho (GT) com a finalidade de criar instrumentos de avaliação para os alunos e para os professores. Esses instrumentos foram construídos de forma compartilhada, contando com a contribuição de diferentes instâncias: Reitoria, Diretorias dos Centros e das Faculdades, Grupo de Apoio Pedagógico, representantes da Associação dos Professores da PUC-Campinas (APROPUC), alunos e professores.
Em que pesem as alterações em sua composição desde a sua criação, o Grupo de Trabalho ‘Avaliação do Ensino’ tem mantido os objetivos propostos e contribuído na análise e discussão dos resultados, seja participando em reuniões nos Centros/Faculdades, seja na elaboração de artigos analisando os resultados obtidos.

A Avaliação do Ensino é realizada semestralmente por estudantes desde 2007 e, bianualmente, por professores desde 2008. Os instrumentos de avaliação são disponibilizados para serem respondidos on-line, por meio do portal da Universidade e todos os alunos e professores são convidados a participar voluntariamente.
O processo de avaliação é desenvolvido com transparência, sendo o acesso aos resultados, e a possibilidade de sua análise, realizada por diferentes instâncias: 1) a PROGRAD realiza a análise dos resultados globais da Universidade, dos cinco Centros que congregam as Faculdades e dos Cursos, 2) as Diretorias de Centros têm acesso aos dados dos Cursos de cada Centro, 3) as Diretorias de Faculdades têm acesso aos dados do(s) seu(s) Curso(s) e 4) os docentes têm acesso aos dados relativos às suas disciplinas

A versão atual do instrumento disponibilizado para ser respondido pelos alunos é composta por:

  • Dimensão B, na qual o aluno realiza autoavaliação, avaliação da turma, da infraestrutura e do atendimento (Diretoria e Secretaria Acadêmica);
  • Dimensão C, avaliação da prática docente em cada disciplina cursada no semestre em questão;
  • Dimensão D, avaliação de estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios, do Trabalho de Conclusão de Curso e das Práticas de Formação; e
  • Dimensão E, questões específicas sobre o curso frequentado.

 

Ainda, há a possibilidade de serem feitas Considerações Gerais (dissertativa).

 

Atualmente, o instrumento de avaliação destinado aos docentes é composto pelas dimensões:

  • Dimensão A – Parte 1: Avaliação das condições para realização das atividades docentes;
  • Dimensão A – Parte 2: Avaliação do envolvimento do docente com a Universidade;
  • Dimensão A – Parte 3: Avaliação de atividades docentes referentes a estágios e Trabalho de Conclusão de Curso;
  • Dimensão B: Avaliação do discente – características acadêmicas dos alunos;
  • Dimensão C: Autoavaliação docente – características da prática docente; e
  • Dimensão D: Avaliação do Gestor – Diretor das Faculdades.

 

Após as questões fechadas de cada uma das dimensões, é disponibilizado um espaço para as observações que porventura os professores julgarem pertinentes, ou seja, as considerações gerais.

 

As Dimensões B e C reproduzem, com as devidas adaptações, as mesmas questões tanto no questionário dos alunos quanto no destinado aos professores, o que permite a análise comparativa dos dados.

Resultados

Já se constituiu uma série histórica da Avaliação do Ensino, o que possibilita aos gestores e aos docentes o acompanhamento qualificado dos resultados e a projeção de ações que possibilitem aprimoramento constante do processo avaliativo, da prática pedagógica e da aprendizagem do aluno.
A socialização e discussão dos resultados acontecem a partir de diferentes iniciativas, tais como, reuniões nos Centros contando com a participação da PROGRAD, Diretorias de Centros, Diretorias de Faculdades, dos membros do Grupo de Apoio Pedagógico (GAPe) e dos Integradores Acadêmicos de Graduação (IAGs); reuniões nos Cursos com a presença dos membros dos Conselhos e/ou de docentes e alunos.
O aprimoramento contínuo dos instrumentos e a constante socialização dos dados globais da Avaliação do Ensino, bem como os resultados da série histórica, têm contribuído para o desenvolvimento e fortalecimento de uma cultura de avaliação nos diferentes seguimentos da Universidade.

A partir do segundo semestre de 2011, foi implantado um novo modelo de análise da série histórica de resultados obtidos com os alunos. Os resultados semestrais referentes à Avaliação do Ensino da prática docente passaram a ser divulgados por meio de gráficos com diversos formatos.
Esse método proõe transformar os dados quantitativos das avaliações semestrais em dados qualitativos, enfatizando a qualidade do trabalho docente em sala de aula. A comunidade pode ter acesso aos resultados do semestre em curso e pode também visualizá-los comparativamente aos semestres anteriores, o que permite acompanhar a série histórica da evolução dos resultados dos processos avaliativos.

 

A construção dessa série histórica foi viabilizada por meio da identificação dos principais aspectos envolvidos no processo de Avaliação do Ensino. Aspecto é um elemento avaliativo contido em qualquer um dos instrumentos de avaliação utilizados ao longo dos últimos anos, e cuja essência pode ser encontrada em várias de suas versões durante a série histórica.
Os gráficos resultantes da aplicação desse modelo estabelecem um referencial visual que permite o imediato reconhecimento tanto das situações de excelência como de cenários de atenção, traduzindo-se em um mecanismo de rápida consulta e identificação por parte dos gestores e professores. No nível docente, os dados providos aos professores podem ser úteis para seus processos de autogestão, uma vez que o recorte de dados admite muitas combinações, podendo-se considerar curso, turno, disciplina e semestres.

 

Os dezenove aspectos preservados são enquadrados em cinco categorias, conforme o Quadro abaixo. Os Gráficos com os resultados, estão apresentados na sequência.

 

Confira aqui os gráficos comparativos dos resultados da avaliação do ensino

Atualizado em 15/03/2017